in

O talento de Christiane Torloni

Após quase dois anos, a atriz retornou ao cenário das novelas em “O Tempo Não Para”

Os protagonistas do enredo de “O Tempo Não Para”: Cleo Pires, Nicolas Prattes, Juliana Paiva, Edson Celulari, Christiane Torloni e Rosi

Ela está de volta! E interpretando um dos principais papeis de “O Tempo Não Para”. É a eterna estrela Christiane Torloni que empresta todo o seu talento e competência à personagem Carmem, no recém-estreado folhetim. Carmem é uma mulher determinada, que criou sozinha o filho Samuca (Nicolas Prattes) e o ajudou a se tornar um empresário de sucesso quando vendeu o único carro que tinha para ajudar o filho a desenvolver o adubo que o levou ao sucesso, É inteligente, cheia de vida e sua independência chama a atenção de Dom Sabino (Edson Celulari); ele vai desenvolver uma paixão platônica por ela.

No entanto, Carmem tem lá seus segredos. Um deles é o relacionamento com o personal trainer Laércio (Micael Borges) que é safado e só quer se dar bem às custas dela. E o outro tem a ver com o pai biológico de Samuca.

Se na ficção, Christiane Torloni é um tanto obscura, na vida real ela é um verdadeiro “livro aberto”. Feliz e bem resolvida, nunca escondeu os seus dramas, como quando perdeu o filho Guilherme, gêmeo do também ator Leonardo Carvalho, vitimado por um acidente de carro, aos doze anos de idade.

Christiane Torloni nasceu no dia 18 de fevereiro de 1957, a aquariana é simpática e muito extrovertida; a atriz sabe usar a seu favor os seus 1,70 m. de altura, além de ser dona de um talento incomum.

Após muitos trabalhos no cinema, teatro e televisão, foi em 1983, com a personagem Jô Penteado, na novela “A Gata Comeu” de Ivani Ribeiro é que a atriz decolou, daí em diante os convites para trabalhos não pararam.

Aos 18 anos iniciou sua carreira de atriz no caso especial da Rede Globo “Indulto de Natal”, dirigido por Walter Avancini. Emendou um trabalho no outro desde o começo, fazendo jus ao título de “incansável Torloni” como os amigos chamavam. Em 1977, foi a Lívia em “Sem Lenço, Sem Documento”, novela dirigida por Dennis Carvalho e Régis Cardoso. Logo depois, foi a personagem central Gina, da novela de mesmo nome.

Militante do movimento “Diretas Já” nos anos 80, Christiane apresentou e participou de vários debates políticos e palanques eleitorais. Sua devoção à política não a impediu de dar voos maiores rumo ao estrelato. Em um único ano, era protagonista de novela e estava em cartaz no teatro e no cinema. Por duas vezes foi eleita “A Mulher do Ano” pela revista “Playboy”, em 1984 e em 1985.

Publicidade
maverick-ar_condicionado

O sucesso da atriz Christiane Torloni não tem fronteiras e já atravessou continentes. Em 1994 estreou em Portugal o espetáculo “Dez Elevado a Menos 43 Exctasis”, de sua autoria com José Possi Neto. No mesmo ano interpretou a conturbada e elegante personagem Dinah, em “A Viagem”, onde fez par romântico com Antônio Fagundes.

Em 1995 viveu seu maior desafio na televisão. Em “Cara & Coroa”, Christiane interpretava a doce Vivi e a impetuosa Fernanda, contracenando com ela mesma em cenas de alta densidade dramática.

Mais uma vez a atriz voltou para o teatro onde o diretor José Possi Neto tem sido seu companheiro desde 88. Ele assinou a direção de duas peças: “Salomé”, encenada em 1997 e “Joana Dark, a Re-Volta”, em 2000, na qual interpretou um dos maiores ícones femininos da história. Seu último trabalho em teatro foi na peça “A Loba de Ray-ban”.

Na Globo participou de inúmeras novelas, além das já citadas. Valendo destaque também para a interpretação de Melissa Cardore, em “Caminho das Índias”.  Depois veio “Fina Estampa” e “Velho Chico”, além de participações em outras produções globais.

Como já dito anteriormente, ela é mãe do também ator Leonardo Carvalho, fruto do seu casamento com Dennis Carvalho; a atriz está engajada no movimento “Amazônia Para Sempre”, encabeçou um abaixo-assinado exigindo providências para a preservação daquela região. A iniciativa nasceu quando ela participou da minissérie “Amazônia – De Galvez a Chico Mendes”; também participa do movimento “Bem Querer Mulher” que luta para acabar com a violência contra as mulheres.

Christiane Torloni foi homenageada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pois emprestou sua imagem a ações voltadas a diminuir a taxa de mortalidade de mulheres durante a gravidez e parto. Ela ganhou um retrato pintado pela artista plástica italiana Elisabetta Farina. A atriz também é a embaixadora do Brasil da exposição itinerante “Arte Em Prol da Saúde”, patrocinada pela OMS; o projeto visa a arrecadação de fundos para a ONG Viver e Sorrir que auxilia crianças prematuras carentes e suas famílias, através da venda de quadros.

Por tudo isso, Christiane Torloni é considerada uma das mais talentosas e requisitadas artistas do Brasil. E agora os fãs podem matar a saudade acompanhando o trabalho da atriz em “O Tempo Não Para”.