in

Novos episódios de “Carcereiros” estreiam na tela da Globo

A partir da próxima quinta-feira a emissora volta a exibir os episódios que conta a saga do carcereiro Adriano (Rodrigo Lombardi)

Ao longo dos sete episódios de “Carcereiros” exibidos no primeiro semestre, o agente penitenciário Adriano (Rodrigo Lombardi) se viu em meio a uma rebelião, teve sua idoneidade colocada à prova, quase sucumbiu à violência e se deparou com fantasmas que assombravam sua própria família

Livremente inspirada na obra de Drauzio Varella, a Globo continua a exibir a partir da próxima quinta-feira, os episódios da primeira temporada de “Carcereiros”. Serão mais sete episódios que continuarão a contar a saga do carcereiro Adriano (Rodrigo Lombardi). A vida dentro de uma penitenciária tem o seu próprio tempo. Às vezes, ele passa arrastado, sem pressa de acabar. Mas, no geral, os acontecimentos atropelam os ponteiros e um único dia pode proporcionar experiências que valem por anos. Adriano conhece essa realidade mesmo com a liberdade de ir para casa todos os dias.

Ao longo dos sete episódios de “Carcereiros” exibidos no primeiro semestre, o agente penitenciário se viu em meio a uma rebelião, teve sua idoneidade colocada à prova, quase sucumbiu à violência e se deparou com fantasmas que assombravam sua própria família. Na continuação desta primeira temporada Adriano segue em sua luta diária por manter sua honra mesmo diante de uma realidade que nem sempre se constrói apenas com a palavra. Até mesmo o novo relacionamento do pai (Othon Bastos) com uma mulher muito mais nova e o comportamento rebelde da própria filha (Giovanna Ríspoli) são motivos para tensão. E quando surge uma paixão pela mulher (Letícia Sabatella) de um criminoso? São situações que acontecem no dia a dia de quem lida com um universo tão perigoso quanto inesperado.

Nas histórias da ficção em que o sistema prisional entra como pano de fundo dois personagens têm muita relevância: o preso e o policial. Séries, filmes e livros levam em consideração esses dois extremos, essas duas figuras que estão muito próximas, mas que estão em lados opostos na balança. Um aspecto fundamental desta série, especificamente, é também o seu grande diferencial. Ela fala sobre a vida daqueles que estão, dia após dia, vivendo entre os presos e os policiais, tendo de administrar os dois lados e promover uma convivência mínima entre eles. É com o olhar do carcereiro que vamos entrar neste universo por uma nova perspectiva.

Depois de ter escrito “Estação Carandiru”, Drauzio Varella se debruçou sobre a vida daqueles que foram seus companheiros por muitos anos e que trabalhavam constantemente sob pressão, em condições precárias. Um universo desconhecido do grande público é, então, apresentado pelo médico, em “Carcereiros” com detalhes de um ofício que exige jogo de cintura e frieza.

Inspirados pela obra, os autores buscam, com isso, ampliar o horizonte do espectador.

Publicidade
dom-bosco-jno

A Vila Rosário, pelo nome, poderia ser um bairro de interior, daqueles que levam a delicadeza de sua denominação ao cotidiano de seus corredores. Poderia, mas não é. Vila Rosário é a penitenciária onde trabalha Adriano Araújo, um homem que não cometeu nenhum crime, mas que vive ali dentro a maior parte de seu tempo, sem saber se terá um novo dia para contar sua história.

“A série joga luz sobre o sistema prisional brasileiro e em como essa pessoa que não é vista pela sociedade lida no dia a dia com dilemas éticos”, explica José Eduardo Belmonte, diretor-geral da atração. Rodrigo Lombardi completa: “Estamos aqui para olhar para aquilo que não queremos olhar. A função do cidadão é poder entender o que se passa aqui dentro. A gente não está aqui para glamurizar, mas sim mostrar como é a realidade dessa profissão e desse mundo. O Adriano é parte desse sistema e é só um cara que poderia ser seu vizinho”.
O espírito de justiça de Adriano nem sempre garante que tudo vá ficar bem, seja do lado de dentro ou do lado de fora da penitenciária, o que faz com que a preocupação sobre os seus seja cada vez mais latente e justificada.

Além de Rodrigo Lombardi, Othon Bastos, Mariana Nunes, Giovanna Ríspoli, Aílton Graça e Tony Tornado, a série conta com Lourinelson Vladmir, Jean Amorim e Nani de Oliveira e tem participações especiais de Chico Diaz, Matheus Nachtergaele, Projota, Letícia Sabatella, Carol Castro, Caco Ciocler, Gabriel Leone, Samantha Schmutz, entre outros. 

E uma novidade para os fãs da série: além dos 12 episódios já disponíveis no Globoplay, outros três, inéditos, serão lançados para assinantes na plataforma também na quinta-feira, totalizando 15 episódios da primeira temporada.

“Carcereiros” é uma série assinada por Fernando Bonassi, Marçal Aquino e Denisson Ramalho, escrita com Marcelo Starobinas, livremente inspirada na obra de Drauzio Varella. E é uma coprodução da Rede Globo com a Gullane Filmes e a Spray, a obra tem direção geral de José Eduardo Belmonte.

Para quem não é assinante da Globoplay e quer conferir a continuação desta superprodutação, basta sintonizar a telinha da Globo!