in

Preso homem acusado de assassinar idoso no Triunfo

Policiais cumpriram mandado de prisão preventiva contra o suspeito, que estava escondido no bairro do Tatuapé, zona leste da Capital

preso-homem-acusado-de-assassinar-idoso-no-triunfo-jno
Imagens das câmeras de segurança ajudaram a Polícia Civil a identificar o agressor, que foi preso em São Paulo
Publicidade
detran-jno
preso-homem-acusado-de-assassinar-idoso-no-triunfo-jno
Antônio Adalto da Rocha foi torturado pelos criminosos e encontrado pela polícia apenas no dia seguinte ao crime

O homem acusado de assassinar o aposentado Antônio Adalto da Rocha, de 61 anos, foi preso na última quinta-feira (13) pela Polícia Civil, em São Paulo. O acusado, de 23 anos, estava sendo procurado há mais de oito meses pelo latrocínio, ocorrido no dia 23 de agosto do ano passado, na casa da vítima, que fica no Residencial Triunfo. O crime chocou os moradores da região. O suspeito foi encontrado em uma casa no bairro do Tatuapé, zona leste da Capital. Os policiais cumpriram um mandado de prisão preventiva decretada contra o rapaz – cujo nome não foi divulgado. Ele ficará preso inicialmente pelo prazo de 30 dias. De acordo com a polícia, o suspeito tem outras passagens por receptação e extorsão. Uma outra pessoa suspeita de participação no crime segue foragida.

No fim de setembro, a Polícia Civil divulgou dois vídeos que mostram o homem que torturou, assassinou e roubou Antônio, que era bastante conhecido no bairro. As investigações mostraram que o criminoso chegou na residência do aposentado por volta de 17h50 do dia 23 de agosto, sendo recepcionado pela própria vítima. Por volta de 19h, teve início a tortura, que durou por volta de uma hora. Antônio foi imobilizado e amordaçado, espancado com socos e pontapés, teve uma cadeira pressionada contra o seu pescoço, foi sufocado e sofreu perfurações até perder a consciência. A causa da morte foi determinada como traumatismo craniano.

Após o homicídio, o homem de 23 anos ainda roubou objetos do interior da residência com a ajuda de um comparsa, que segue foragido. No dia seguinte ao crime, a Polícia de Nova Odessa recebeu um chamado para atender uma ocorrência de roubo. Quando os policiais chegaram, não encontraram sinais de arrombamento no portão e uma chave estava no chão da garagem. Foram levados objetos da residência e a dupla fugiu com o carro da vítima, um Honda City branco, que foi encontrado queimado em Monte Mor. Toda a ação foi registrada pelas câmeras do imóvel, que foram disponibilizadas pela família da vítima.

No dia do crime, o suspeito usou transporte por aplicativo para ir de Campinas até a casa em Nova Odessa. Lá ele foi recebido pela vítima e as agressões começaram. A vítima morava sozinha e foi encontrada pela Polícia Militar por volta de 22h50 do dia 24 de agosto. Ele estava de bruços, com as mãos amarradas, amordaçado e com diversas contusões pelo corpo.