in

Grupo da ETEC de Nova Odessa fica em 3º na Mostra de Ciência e Tecnologia da 3M

grupo-da-etec-de-nova-odessa-fica-em-3o-na-mostra-de-ciencia-e-tecnologia-da-3m-jno
Publicidade
detran-jno

Alunos da ETEC (Escola Técnica Estadual) Ferrucio Humberto Gazzetta, de Nova Odessa, conquistaram o terceiro lugar na categoria Engenharia da 9ª Mostra de Ciências e Tecnologia Instituto 3M. O grupo de estudantes criou um software (programa de computador) para facilitar a vida de portadores de deficiência auditiva nas aulas e reuniões online. A plataforma traduz o áudio dos encontros virtuais para legendas e para a Libras (Língua Brasileira de Sinais).

A Mostra, realizada no mês de novembro, é disputada por alunos dos Ensinos Fundamental, Médio e Técnico da Região Metropolitana de Campinas e de Ribeirão Preto.

A Etec de Nova Odessa também faturou o Prêmio Escola Pioneira, no valor de R$ 20 mil, na forma de bens duráveis, bens de consumo ou prestação de serviços. A iniciativa tem por objetivo incentivar o desenvolvimento e a disseminação de práticas educativas de sucesso por meio de projetos de ciências investigativas.

Os estudantes que participaram do projeto são Arthur de Sousa, Eduardo Longhi, Henrique Eusébio, sob a coordenação e supervisão da orientadora Simone Lacerda e do coorientador, Lucas Parizotto.

O segundo lugar da categoria de Engenharia ficou para o Colégio Técnico de Campinas, vinculado à Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), que criou um aplicativo educacional interativo, chamado Helply, para ajudar os estudantes de forma rápida e imediata.

E o primeiro lugar foi para os estudantes do IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo), do campus de Campinas. O grupo desenvolveu uma célula 3D com tecnologia RFID (Identificação por Radiofrequência), que ajuda a capturar dados individualmente e automaticamente, para identificação de objetos com dispositivos eletrônicos acoplados, além de registrar informações técnicas e permitir o seu rastreamento, recuperando e armazenando dados remotamente.

 

ETECS

 

Na Mostra, as ETECS se destacaram nas premiações. A Etec Professor Dr. José Dagnoni, de Santa Bárbara d’Oeste, ganhou o primeiro lugar na categoria Ciências Biológicas. O grupo desenvolveu uma esponja de lavar louça biodegradável feita a partir da casca e da coroa do abacaxi para substituir as de material sintético altamente poluente. Além da primeira colocação, o projeto ganhou classificação direta para a próxima edição da Febrace (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia).

Já os alunos da Etec Bento Quirino, de Campinas, ficaram com o segundo lugar em Ciências da Saúde com um andador para auxiliar crianças com deficiência visual. Os sensores instalados no equipamento identificam obstáculos, avisam os pais do perigo por alarme sonoro e alertas via celular. Uma outra funcionalidade é o travamento automático das rodas do veículo para preservar a segurança da criança. As Etecs de Hortolândia e Rosa Perrone Scavone, de Itatiba, também classificaram projetos entre os mais de 100 finalistas