in

‘Vai na delegacia’, sugere secretário para moradora que buscava UTI para familiar

Usuários da rede pública foram às redes sociais pedir ‘socorro’ e apontaram até falta de álcool gel no espaço criado pela prefeitura para atender exclusivamente moradores com Covid-19

vai-na-delegacia-sugere-secretario-para-moradora-que-buscava-uti-para-familiar-jno
Publicidade
detran-jno

O atendimento oferecido pela Secretaria de Saúde de Nova Odessa na UR (Unidade Respiratória) do Jardim Alvorada voltou a ser alvo de críticas e denúncias. Ao longo do final de semana, usuários da rede pública foram às redes sociais pedir “socorro” e apontaram não apenas a falta de médicos e horas na espera por uma consulta, mas até água e álcool gel. A situação na UR – criada para atender exclusivamente moradores com suspeita ou confirmação da Covid-19 – não tem provocado apenas o descontentamento da população, mas também a saída de profissionais que atuavam no local em razão da sobrecarga e das condições de trabalho oferecidas administração.

No sábado, o vídeo onde a moradora Marcela Santana implora ao secretário Nivaldo Luis Rodrigues por uma vaga de UTI para um familiar internado em estado grave na Unidade Respiratória, viralizou nas redes sociais. Nas imagens, o secretário pergunta para a mulher se ela “não assiste jornal?” e chega a orientá-la a registrar um boletim de ocorrência na Polícia Civil.  “Vai na delegacia, se conseguirem te ajudar, excelente”, disse Nivaldo, que é médico e estava atendendo na UR. “Mas você (Nivaldo) é quem tem que conseguir (a vaga)”, rebateu ela. O familiar de Marcela, contudo, faleceu nesta segunda-feira sem ser transferido.

Também no sábado, Lucelia Barufaldi foi uma das moradoras que fez longo desabafo nas redes sociais. Ela classificou a situação na Unidade Respiratória como “um verdadeiro descaso” com a saúde pública municipal. “Não tem médico, não tem álcool gel, não tem água pra beber. Se você entra aqui sem o vírus (e vem por estar com suspeita), corre um grande risco de sair daqui contaminado. E não adianta ligar para o prefeito, e muito menos para o secretário (de Saúde). O prefeito não atende e o secretário só fala que vai verificar. Muitos estão indo embora, mesmo com os sintomas, sem se medicar”, afirmou a novaodessense.

POSICIONAMENTO

Em nota, o secretário de Saúde disse que, em relação ao caos na Unidade Respiratória do Jardim Alvorada – que ele classificou como “demora pontual” -, o problema foi causado pela falta (não avisada previamente) de uma médica terceirizada escalada para o plantão do dia. “Assim que fui avisado, no começo da tarde, tomamos as providências cabíveis e, na impossibilidade de localizar outro profissional disponível para substituição imediata da médica faltante, eu mesmo fui à Unidade Respiratória atender os pacientes que lá se encontravam, até que a situação fosse normalizada, por volta das 19h”, garante Nivaldo.

O secretário disse ainda que o total de atendimentos realizados no sábado (99) manteve a média dos últimos dias – foram 105 na sexta-feira e 93 no domingo. “Ou seja, o problema foi realmente causado pela falta da médica escalada”. Sobre a falta de álcool gel e água na unidade, bem como em relação à sugestão feita à moradora – de que procurasse a delegacia -, Nivaldo não se manifestou.