Contas aprovadas de 2017 do prefeito Bill já estão na Câmara para serem votadas

O projeto entrou na pauta da última sessão, mas foi retirado depois que o vereador Tiago Lobo pediu vistas

As contas de 2017 do prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza, que foram aprovadas pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado), já estão na Câmara de Nova Odessa para serem votadas. O projeto, inclusive, entrou na pauta da última sessão, realizada na segunda-feira, dia 19, mas foi retirado depois que o vereador Tiago Lobo pediu vistas, mesmo com parecer favorável da Comissão de Justiça e Redação formada pelos vereadores Poneis, Tiãozinho do Klavin e Leitinho.

Diferentemente de outras cidades da região, como Santa Bárbara, por exemplo, onde a Câmara deve votar em breve as contas reprovadas pelo TCE de 2015 do prefeito Denis Andia, Bill já teve aprovadas as contas de 2013, 2014 ,2015 e 2016 tanto pelo TCE como pelos vereadores.

Em seu parecer favorável – que leva em consideração pareceres da assessoria técnica -, o Tribunal de Contas do Estado ressalta que a Prefeitura, em 2017, atendeu ao disposto contido no artigo 212 da Constituição federal e superou, inclusive, o limite mínimo de 25% de despesas com o ensino, alcançado o percentual de 30,91%. Já no que diz respeito à saúde, o município investiu 24,34% do orçamento municipal, quando a lei exige o mínimo de 15%. No tocante ao gasto com pessoal, o Executivo Municipal ficou dentro do limite de 54% da receita corrente líquida, uma vez que alcançou o percentual de 51,88%. “Diante de todo o exposto, esta Comissão submete à elevada apreciação dos nobres pares a presente proposição, por meio da qual se manifesta pelo acolhimento do acórdão e consequente aprovação das contas”, traz o parecer da Comissão de Justiça e Redação.

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

Procurado pela reportagem do JNO para explicar o motivo que o levou a pedir vista do projeto que aprova as contas de 2017 do prefeito Bill, Tiago Lobo disse que o pedido foi para analisar com mais cuidado algumas dúvidas que surgiram. “Não há nada discrepante no projeto, inclusive, as contas vieram aprovadas, mas surgiram algumas dúvidas. O pedido de vista foi justamente para analisar melhor e garantir que a Prefeitura esteja corrigindo esses pontos”, esclareceu Tiago Lobo.