in

Suspenda as Âncoras

Os físicos conseguem explicar o motivo de algo menor e mais leve que qualquer navio ter o “poder” de mantê-los parados, ou seja, “ancorados”. As correntes marítimas e a divisão de peso os mantêm parados. Algo tão simples e comum para quem trabalha com grandes embarcações tem muito a nos ensinar.

Como as circunstâncias e os problemas tem tanto poder de nos parar? Nossa embarcação, no decorrer da vida, enfrenta grandes tempestades, sol escaldante, tempo frio, mas, as vezes, uma âncora nos mantém parados por mais tempo que o necessário.

As âncoras tem um papel importante para o comandante do navio, elas param por um tempo específico, mas não por muito tempo. Precisamos ter e seguir isso como exemplo. As dificuldades são passageiras, devemos tirar lições de cada uma, porém é chegada a hora de levantar âncora, não se prender a elas.

Temos um alto mar a ser explorado, muitas experiências pela frente, mas muitas vezes nos prendemos por mais tempo que o necessário em cada circunstância contrária. Um problema financeiro, uma mágoa, rancor, tristeza, uma crise no casamento, uma tentativa de crescimento que não vingou, nos prendemos a tudo isso e perdemos a oportunidade de viver novas experiências…

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

Âncoras em nossas vidas são momentâneas e às vezes necessárias, porém devem ser passageiras. Por quanto tempo você vai viver ancorado? Não está na hora de romper essa mágoa? Aquilo que deu errado? Viver remoendo o que deu errado te levará para onde? Você é inteligente o suficiente para entender que seu navio é muito maior que as âncoras que a vida te proporciona.

Olhe para frente, o alto mar te espera. E o interessante é que o comandante da a ordem para suspender a âncora porque a viagem precisa continuar, mas a pergunta que fica é: onde está a âncora na viagem? Ela está dentro do navio, não fica pelo caminho. Vamos viver com “âncoras” em nossas vidas para sempre, precisamos aprender a conviver com elas.

Dificuldades virão. Os problemas são passageiros, devemos tirar lições de tudo isso, mas, de maneira nenhuma, podemos nos render as âncoras. Somos bem maiores que elas.

 

Márcio Rogério

Pastor, Gestor Público, Assessor Parlamentar, Editor do Blog Vida e Fundador do projeto Avalanche.