in

JNO é jornal tucano, diz vice-prefeito

jno-e-jornal-tucano-diz-vice-prefeito-jno
Publicidade
detran-jno

Em entrevista ao programa conduzido por Gleison Alves na TV WA Notícia, na terça-feira, o vice-prefeito Alessandro Miranda, o Mineirinho, teceu duras críticas ao Jornal de Nova Odessa. Afirmou, em determinado momento: “eu fico triste de ver o Jornal de Nova Odessa só pontuar coisas negativas do governo Leitinho. Ele não fala do passado. Parece um jornal tucano, deveria ser o jornal do PSDB”.

Ainda no decorrer da entrevista, o vice-prefeito comentou sobre as 11 mortes confirmadas pela prefeitura na segunda-feira e criticou a reportagem do jornal que apontava o recorde de confirmações em um único dia. “Mais uma mentira do jornal tucano da cidade que é o Jornal de Nova Odessa”.

Não houve mentira alguma. Vamos reproduzir o que diz o texto da reportagem veiculada. “Fora de controle em Nova Odessa, a pandemia de Covid-19 segue batendo tristes recordes. O mais recente deles diz respeito ao número de mortes confirmadas em um único boletim: foram 11 vidas perdidas”.

Em outro trecho: “Segundo a prefeitura, dos 11 óbitos de novaodessenses divulgados nesta segunda-feira, nove ocorreram em outras cidades entre os meses de maio e junho, mas só agora foram informados pelos municípios onde ocorreram”.

Cadê a mentira? Lembrando que a informação foi divulgada pela própria prefeitura.

Quanto ao jornal falar do passado, vale ressaltar que os veículos de comunicação tratam do presente. Quem fica preocupado com o passado é politico inexperiente.

O vice-prefeito tem o direito de pensar o que quiser sobre este periódico. Mas não pode ser injusto. Desde janeiro, este jornal mostra todas as ações positivas do atual governo. De todos os releases (material divulgado pela assessoria de imprensa) recebidos da Prefeitura de Nova Odessa, poucos deixaram de ser publicados. As notícias relevantes e de interesse público são publicadas em todas as edições.

O que o JNO não deixará de fazer, por mais que os gestores públicos reclamem, é mostrar o que acontece na cidade. Há 30 anos é assim. E se o governo é tucano, o jornal é acusado de ser petista. Se o governo é de esquerda, o jornal é acusado de ser de direita. Nessas três décadas foi assim. Não seria diferente agora.

Os últimos anos não estão fáceis para os veículos impressos. E também não foram para o JNO. Mas toda crise é também uma oportunidade de crescimento. Por isso, para o desespero do vice, o jornal está se modernizando e ampliará a cobertura jornalística, com mais atuação nas redes sociais e nos meios digitais.

Sabemos que, ao lado do vice-prefeito e acusando o JNO de publicar fake news, estão aqueles que até ontem criticavam a gestão pública em suas páginas nas redes sociais, disfarçadas de portais de notícias. Hoje, essas pessoas transformaram tais portais em catálogos de anúncios digitais ou páginas publicitárias do atual prefeito. Então, até o ano passado, eles publicavam fake news vice-prefeito? Por que será que não publicaram o desabafo das famílias que estão cobrando melhores condições de atendimento na Saúde? Ah é! Deve ser porque agora as mortes de pacientes são “fatalidades”, como disse o vice-prefeito.

Não importa se será chamado de tucano, de petista, de esquerda ou de direita. O Jornal de Nova Odessa sobrevive há 30 anos como uma empresa de comunicação comprometida com a cidade e assim continuará sendo. Para nós, quem morre sem atendimento adequado foi vítima de negligência, não de fatalidade.