Vigilância Epidemiológica de Nova Odessa disponibiliza ‘dose zero’ contra o sarampo

Em Nova Odessa, não há casos suspeitos ou confirmados de sarampo

A Vigilância Epidemiológica de Nova Odessa recebeu na última sexta-feira (23) a nota informativa do Ministério da Saúde e já está disponibilizando, desde esta segunda-feira, a chamada “dose zero” da vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) para crianças a partir de 6 meses e menores de 1 ano, com objetivo de controlar o avanço da doença no País. Em Nova Odessa, não há casos suspeitos ou confirmados de sarampo.

No calendário de rotina, a vacina é aplicada quando a criança completa 1 ano e a segunda dose, aos 15 meses de idade. “Não se trata de uma campanha, mas apenas uma recomendação do Ministério da Saúde. Importante ressaltar que, mesmo que a criança receba a dose zero agora, ela precisa tomar a 1ª e a 2ª dose dentro do calendário de rotina, porque nesta faixa etária (a partir de 6 meses e menores de 1 ano) a dose zero confere uma imunidade de apenas 70%. Por isso a importância de tomar todas as doses. Feito isso, a imunidade sobe para 90%, já que o sistema imunológico responde melhor”, explicou a enfermeira Paula Mestriner, coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Nova Odessa.

A “dose zero” da vacina tríplice viral está disponível em todas as UBS’s (unidades básicas de saúde) de Nova Odessa, de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h. Segundo Paula, Nova Odessa tem 710 crianças entre 6 meses e menores de 1 ano e que podem receber a vacina. “Só neste mês de agosto, nós já recebemos 600 doses da vacina. Ainda temos 100 doses distribuídas pelas unidades básicas de saúde e também já solicitamos um reforço junto à Diretoria Regional de Saúde de Campinas”, disse ela.

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

O secretário de Saúde, Vanderlei Cocato, também reforça a necessidade de imunização para que Nova Odessa siga sem casos da doença. “É muito importante que os pais com filhos a partir de 6 meses e menores de 1 ano levem as crianças para tomar a dose zero e também não se esqueçam da 1ª e 2ª doses dentro do calendário normal. O sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus e que pode ser fatal. E a única maneira de evitar o sarampo é pela vacina”, recomendou o secretário.

TRANSMISSÃO. A transmissão do sarampo ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. Os principais sintomas do sarampo são: febre acompanhada de tosse; irritação nos olhos; nariz escorrendo ou entupido e mal-estar intenso. Em torno de 3 a 5 dias, podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de 5 anos de idade.