UBS’s de Nova Odessa fizeram mais de 81,3 mil atendimentos no 2º quadrimestre

O número de internações passou de 448 no 1º quadrimestre para 519 no segundo

As cinco UBS’s (unidades básicas de saúde) de Nova Odessa, além da Unidade de Acesso Avançado do Jardim São Francisco, realizaram, juntas, 81.328 atendimentos no 2º quadrimestre deste ano (entre maio e agosto), o que representa uma média de 661 por dia e um acréscimo de 25% em relação ao total de atendimentos realizados no 1º quadrimestre.

Os números foram apresentados nesta sexta-feira (27) pelo secretário de Saúde, Vanderlei Cocato, durante audiência pública realizada na Câmara, quando foram divulgados os relatórios financeiros e operacionais da área, em cumprimento a Lei Complementar nº 141, de 13 de janeiro de 2012.

Outro número que chamou a atenção é que, entre maio e agosto deste ano, a rede pública de saúde realizou 123.187 exames nas UBS’s, Ambulatório de Especialidades, pronto-socorro e internação. Esse número representa uma média de 1.000 exames por dia.

Ainda de acordo com os dados apresentados por Cocato aos vereadores e à população que compareceu ao plenário da Câmara, foram realizadas 10.205 viagens, no período, para transportar pacientes dentro e fora de Nova Odessa. Já a Farmácia Central e de Alto Custo atendeu 37.853 receitas. O número de internações passou de 448 no 1º quadrimestre para 519 no segundo.

Foram realizados 105 partos na maternidade do Hospital Municipal Dr.Acílio Carreon Garcia e o número de pessoas atendidas na Central de Recadastramento para emissão do Cartão +Saúde chegou a 18.173 entre maio e agosto.

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

“Neste segundo quadrimestre, a Prefeitura de Nova Odessa investiu mais de R$ 17 milhões para o custeio da saúde e, volto a frisar, é cada vez maior a sobrecarga em cima da Administração, uma vez que os repasses federais e estaduais representam uma fatia cada vez menor neste bolo”, explicou Vanderlei Cocato.

Nesta semana, Cocato esteve em Brasília onde ele solicitou aumento nos repasses federais para a rede pública de saúde, principalmente no que diz respeito ao PAB (Piso da Atenção Básica), Piso da Vigilância em Saúde e MAC (Média e Alta Complexidade). As solicitações têm como base a nova estimativa populacional do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgada recentemente e que apontou Nova Odessa com mais de 60 mil moradores.

No ano passado, Nova Odessa recebeu, em média, cerca de R$ 18,6 mil por mês referente ao Piso da Vigilância em Saúde; R$ 143 mil/mês referente ao PAB e R$ 175 mil referente ao MAC. “No ano passado, por exemplo, nós investimos R$ 51 milhões no custeio na Saúde, sendo que apenas R$ 5,5 milhões recebemos como repasses do governo federal. Um número que é muito baixo, pois representa apenas 10% daquilo que foi custeado pelo município. Ou seja, ao todo foram 30% do orçamento do município investidos na Saúde no ano de 2018 e caminhamos para esse percentual agora em 2019”, explicou Cocato.