in

Secretaria de Saúde descarta reabrir Unidade Respiratória do Alvorada para desafogar HM

Presidente da Câmara, Élvis Pelé, fez novo vídeo nesta sexta-feira reforçando o apelo; prefeitura diz que ainda não há pressão sobre leitos de média e baixa complexidade

secretaria-de-saude-descarta-reabrir-unidade-respiratoria-do-alvorada-para-desafogar-hm-jno
Publicidade
detran-jno

A Secretaria de Saúde de Nova Odessa decidiu ignorar o apelo feito na terça-feira pelo presidente da Câmara, Élvis Ricardo Garcia, o Pelé, e disse que não pretende reabrir, ao menos por enquanto, a Unidade Respiratória do Jardim Alvorada para atender as centenas de pacientes que estão procurando, todos os dias, o Pronto-socorro do Hospital e Maternidade Municipal Doutor Acílio Carreon Garcia devido a “onda” de gripe que assola a região e casos de Covid-19 provocados pela variante ômicron.

Em resposta ao pedido feito pelo vereador, a prefeitura disse a determinação neste momento é reforçar o acolhimento dos pacientes nos pronto-atendimentos, agilizando o tempo de espera, já que a totalidade dos pacientes, segundo a Secretaria de Saúde, continua o tratamento em casa. “A unidade (respiratória do Jardim Alvorada) segue montada e equipada para o caso de necessidade, assim como a Ala Respiratória do HMNO. Essa avaliação é feita diariamente pela Secretaria de Saúde. Felizmente, os novos surtos de gripe e Covid (ainda) não estão resultando em internações, ou seja, ainda não há pressão sobre os leitos de média e baixa complexidade da Rede Municipal de Saúde, localizados nestes dois locais”, justificou, em nota, a pasta.

Nesta sexta-feira, Pelé postou um novo vídeo em suas redes sociais reforçando o apelo pela reabertura da Unidade Respiratória do Jardim Alvorada. De acordo com balanço divulgado pela própria prefeitura, desde o dia 1º de janeiro, o número de pacientes à espera de atendimento no Hospital aumento em cerca de 40%. Esse aumento de demanda foi causado, entre outros fatores, pelos casos de síndromes gripais decorrente de infecção pelo vírus Influenza A H3N2. Com o aumento da demanda e o atendimento centralizado no hospital, pacientes relataram longo período de espera para serem atendidos.

“A estrutura da Unidade Respiratória está pronta, inclusive com investimentos consideráveis feitos pela prefeitura para adequação do ambiente. A separação do atendimento, como foi feito no passado, garante que o hospital não seja contaminado e que os pacientes com outros sintomas, principalmente crianças e idosos, não sejam expostos aos vírus de gripe e Covid desnecessariamente”, alega o vereador.

A separação do atendimento dos pacientes com síndrome gripal, segundo Pelé, é ainda mais necessária depois das notícias de registros de ocorrências da combinação dos dois vírus na população, sendo a situação designada de “flurona”.

A Unidade Respiratória foi inaugurada em 2019 para atendimento exclusivo de pacientes com sintomas de síndrome gripal. Em novembro do ano passado, a prefeitura desativou a unidade especial e transformou o local em um “posto avançado” de atendimento. Na época, a prefeitura justificou a desativação com a afirmação de que houve uma “desaceleração” da pandemia. No local foi mantido atendimento em dias úteis, das 7h às 19h, com um médico clínico geral e um pediatra. Desde então, os pacientes com sintomas respiratórios foram direcionados ao Hospital Municipal.