in

Saúde alerta sobre síndrome ‘Mão-pé-boca’

Doença é comum em bebês e crianças menores de 10 anos

Pequenas bolhas na pele – em especial nas mãos, pés e boca, febre, falta de apetite e dor de garganta. Estes são alguns dos sintomas da Síndrome “Mão-pé-boca”, doença comum em bebês e crianças menores de 10 anos e que é registrada com maior frequência nesta época do ano. A Secretaria de Saúde de Nova Odessa, através da Vigilância Epidemiológica, alerta os pais sobre a doença e formas de prevenção.

“É uma doença viral, geralmente branda, e muito comum especialmente em creches e escolas por conta do compartilhamento de chupetas e mamadeiras entre as próprias crianças”, explicou a responsável pela Vigilância Epidemiológica, enfermeira Paula Mestriner.

Segundo ela, embora Nova Odessa não tenha registrado surtos da doença, é preciso atenção. “Até o ano passado, esta doença não era notificada. Agora, a Secretaria de Estado da Saúde determinou a notificação exatamente para que possa ser feita uma estatística, para obtenção mais precisa dos dados”, explicou.

Paula afirmou que o simples fato de higienizar as mãos das crianças várias vezes ao dia e evitar o compartilhamento de chupetas e mamadeiras com amiguinhos ou irmãos ajudam na prevenção. “Esta doença não tem um tratamento específico então, quando diagnosticada, a mãe é orientada a não mandar a criança por alguns dias na creche até que esteja restabelecida. Como a doença causa feridas na boca, é de extrema importância manter a criança hidratada, para minimizar desconfortos”, continuou.

Publicidade
maverick-ar_condicionado

Secretário de Saúde, Vanderlei Cocato afirmou que a Vigilância tem acompanhado a situação e, caso necessário, fará ação de orientação dos profissionais da rede pública de ensino. “É importante ressaltar que nos casos em que a criança é levada ao pronto-socorro ou posto de saúde, o médico faz todas as recomendações necessárias à família”, ressaltou.

Diretora de Educação Infantil, Fabiana Vaughan explicou que foram registrados alguns casos da doença na rede pública e que os alunos foram afastados. “O próprio médico orienta para o afastamento da escola por alguns dias até que a criança esteja restabelecida”, afirmou. Segundo ela, apesar do registro de casos, não há surto da doença no município. “São situações pontuais”, disse.

 

SAIBA MAIS

A Síndrome “Mão-pé-boca” é caracterizada por febre, lesões na boca e erupções cutâneas. Inicia com febre, falta de apetite, mal-estar e com frequência dor de garganta.

A infecção é causada pelo vírus Coxsackie, pertencente à família dos enterovírus, que habitam normalmente o sistema digestivo. Esse tipo de vírus também pode causar estomatites.

A transmissão ocorre através da via fecal-oral, ou seja, pelo contato entre as pessoas, com a saliva, através de gotículas presentes no espirro e tosse, contato com fezes ou outras secreções (inclusive o líquido das bolhas) contaminadas, ou indiretamente por alimentos ou objetos contaminados.

Não existe vacina para este tipo de doença, por isso medidas de prevenção, principalmente de higiene pessoal, higiene no manuseio e preparo de alimentos e com objetos de uso comum entre as crianças são indispensáveis no controle dessa doença. O período de incubação do vírus é de aproximadamente 7 dias.