SAÚDE

Através de suas redes sociais, o prefeito Bill explicou porque da necessidade em fazer o novo cartão da Saúde. “Eu queria deixar claro aqui pra vocês que o nosso objetivo com o cartão da Saúde é garantir o melhor atendimento pra quem realmente mora em Nova Odessa. Hoje a gente tem 120 mil pacientes na rede pública, sendo que a nossa população é de pouco mais de 59 mil pessoas. Alguma coisa está errada, não é mesmo? A gente tem que atender quem é de Nova Odessa, e atender bem”, explicou Bill.

CUSTOS

Ainda segundo o prefeito, atender pessoas que não são do município tem exigido da Prefeitura um investimento cada vez maior. “O governo estadual e o governo federal repassam cada vez menos recursos para o custeio da saúde e a carga em cima da prefeitura é cada vez maior. Só nos primeiros quatro meses deste ano a gente investiu mais de R$ 17 milhões na Saúde. Fique tranquilo porque ninguém vai ficar sem atendimento. Procure a Central de Atendimento, que funciona no prédio do CTVP (atrás da prefeitura e do hospital)”, escreveu Bill.

REQUERIMENTO

O vereador Wladiney Pereira Brigida, o Polaco (SD), teve aprovado e encaminhou esta semana requerimento à Prefeitura de Nova Odessa sobre a colocação de cobertura em frente ao laboratório de exames de análises clínicas solicitados pelos médicos aos pacientes da rede pública de saúde. O imóvel fica em frente ao Hospital e Maternidade Municipal ‘Doutor Acílio Carreon Garcia’. Polaco cita que desde quando a empresa vencedora da licitação assumiu os serviços, a Administração Municipal realiza tratativas para implantar a melhoria. “É preciso colocar o toldo com rapidez, pra ajudar os munícipes principalmente nos dias de chuva”, defende. O vereador tem conversado sobre o assunto com o secretário de Saúde, Vanderlei Cocato.

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

EXPLICAÇÕES

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, vai depor na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado em audiência marcada para a próxima quarta-feira, dia 19, sobre as conversas vazadas dele com o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba. Na sessão do Congresso Nacional de terça-feira, dia 11, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), leu um ofício, entregue pelo líder do governo Bolsonaro na Casa, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), no qual Moro se coloca à disposição para ser ouvido.

REPERCUSSÃO

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou aos seus advogados ter tomado conhecimento somente na segunda-feira, dia 10, do vazamento das conversas entre integrantes da força-tarefa da Lava Jato com o ex-juiz Sergio Moro. Segundo um dos defensores do petista, seu cliente ficou bastante surpreso com dois pontos: a rapidez com que “a verdade foi revelada” e a “tamanha promiscuidade” demonstrada pela troca de mensagens.“ O presidente acreditava que isso não viesse à tona tão rapidamente porque o esquema aqui (em Curitiba) é tão bem estruturado, tão organizado, que era praticamente inimpugnável. E não mais que de repente o jornalismo iluminou esse episódio que era secreto, assustador, que se verificava nesse país”, disse o advogado.

Publicidade
instituto_728x90_60kb