Projeto Fênix leva educação emocional às escolas sob orientação da coach Priscila Paiva Grivol

Desenvolvimento das habilidades socioemocionais permite que os alunos reconheçam suas próprias emoções e a maneira mais adequada de lidar com elas

Para muitos especialistas da área da educação, o desenvolvimento das habilidades socioemocionais é tão ou mais importante para a formação dos alunos quanto as tradicionais disciplinas, como Matemática, Língua Portuguesa, História e Geografia, entre outras.

Cientes da importância do desenvolvimento de seus alunos, também na área socioemocional, as escolas estaduais Profª Dorti Zambello Calil e a Doutor Joaquim Rodrigues Azenha, realizam, desde agosto, oficinas que desenvolvem estas habilidades. As turmas, compostas de 15 alunos com perfis variados, recebem a orientação da coach e pós Graduanda em Neuropsicopedagogia, Priscila Paiva Grivol.

Trazido pelo “Projeto Fênix -Transformando Vidas”, idealizado pela primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade de Nova Odessa, Andréa Souza, as oficinas tem como objetivo ajudar crianças e adolescentes a lidarem com situações difíceis, como bullying, ansiedade, problemas familiares, entre outros.

Priscila Paiva Grivol explicou que problemas como bullying na escola, dificuldade de relacionamento com os amigos e excesso de timidez, por exemplo, são tratados em diálogos que trazem reflexão. “Questionei um aluno sobre o que ele faria caso alguém fizesse algo que ele não gostasse. Ele respondeu que usaria força física para resolver. Então eu perguntei o que ele ganharia com aquilo. Ele me respondeu que ganharia respeito. Eu continuei com as “boas perguntas” – as boas perguntas geram reflexão e autoresponsabilidade – e questionei se as pessoas que ele respeita o agrediram de alguma forma. A resposta foi não. Então eu voltei a pergunta para o grupo de alunos ‘como fazemos para sermos respeitados?’ e eles me disseram: respeitando. É assim que construímos autoresponsabilidade”, explicou a coach.

Ela ainda explicou que nas oficinas os alunos apreendem a lidar com suas atitudes e emoções. “Neste ambiente eles (alunos) aprendem que podem discordar dos outros de forma gentil e educada, sem represar os sentimentos e sem agredir verbalmente as pessoas; aprendem sobre empatia, trabalho em grupo; aprendem que quando sentirem raiva podem escolher como serão suas ações; aprendem que são protagonistas de sua vida e a não culpar os outros pelos fracassos e também aprendem que podem mudar suas ações hoje pensando no futuro amanhã”, contou Priscila Paiva Grivol.

Segundo ela, em pouco tempo de oficina, os próprios alunos relatam mudanças significativas em suas vidas. “Alunos que tinham timidez no inicio das oficinas, já no segundo mês relataram que agora conseguem ter novas atitudes e falar em público; outros dizem que estão mais abertos a conversar com adultos, pois antes tinham medo de se expressar, e ainda relatam que nas oficinas conseguem ser o que realmente são”, relatou ela.

Para a psicóloga, as crianças e adolescentes estão clamando por socorro através de seus maus comportamentos. E o socorro veio através do Projeto Fênix. “Ter um projeto com atividades de educação socioemocional em nossa cidade vem a contribuir para o desenvolvimento da inteligência emocional dos nossos alunos, permitindo que eles desenvolvam de forma ética, resiliente, capazes de lidar com frustrações, seguros e com impactos positivos em sua saúde mental, enfim, preparando-os para enfrentar os desafios do século”, elogiou.

Ela também fez questão de agradecer a Andréa Souza pela iniciativa. “Aproveito para parabenizar nossa primeira-dama pela implementação desde projeto, tenho a certeza de que muitos alunos são impactados de forma positiva e terão suas vidas realmente transformadas, pois o Projeto Fênix atua de forma ampla e multidisciplinar”, finalizou Priscila Paiva Grivol.

PROJETO FÊNIX. O projeto também conta também com oficinas de artesanato, coral, fanfarra, grafite e artes marciais. Este projeto é resultado de uma parceria com diversas secretarias municipais, iniciativa privada e um grupo de 50 voluntários. O projeto consiste em oferecer diversas atividades de esportes, artes, lazer, cultura e saúde mental para prevenção e reabilitação a problemas como depressão, medos, traumas e outros, funcionando como uma rede de apoio, através de diversas ações, aos pais, professores e adolescentes novaodessenses matriculados nas escolas estaduais do município.

A coach e pós Graduanda em Neuropsicopedagogia, Priscila Paiva Grivol

Publicidade