in

Profissionais da Saúde registram boletim de ocorrência contra presidente do sindicato por coação

profissionais-da-saude-registram-boletim-de-ocorrencia-contra-presidente-do-sindicato-por-coacao-jno
Publicidade
detran-jno

Oito profissionais da rede pública de saúde de Nova Odessa que atuam na Unidade Respiratória do Jardim Alvorada, entre técnico em enfermagem, assistente social, vigilante, enfermeiros e recepcionistas, registraram um boletim de ocorrência na Polícia Civil contra o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Adriano José do Carmo. Os servidores acusam o representante da entidade de coação e de tentar entrar – sem autorização – na unidade criada para atender pacientes com suspeita do novo coronavírus.

Em maio 2018, a 2ª Vara do Trabalho de Americana concedeu uma liminar a favor da Prefeitura de Nova Odessa – que ainda está em vigor – proibindo que representantes do sindicato entrem em áreas de acesso restrito ou controlado dos prédios públicos sem autorização. Meses depois, a entidade foi multada em R$ 10 mil (mais honorários advocatícios) por descumprir a decisão da juíza Cristiane Montenegro Rondelli. Na ocasião, três servidoras públicas lotadas no setor de Merenda Escolar também registraram boletim de ocorrência contra Carmo, por agressão verbal e descriminação religiosa.

Desta vez, os servidores da Saúde que atuam na Unidade Respiratória relataram à Polícia Civil que o presidente do sindicato esteve em duas ocasiões (a primeira delas, no dia 27 do mês passado, e a segunda, dois dias depois), agredindo os funcionários com palavrões, filmando o local – causando constrangimento, inclusive, em pacientes – e colocando em xeque a capacidade profissional dos servidores para atuar na unidade.

“Trata-se de uma conduta inaceitável em qualquer circunstância, e ainda neste momento de pandemia que estamos enfrentando, com todos os servidores da saúde empenhados em salvar vidas em razão do coronavírus. Não temos nada para esconder de ninguém, mas a entrada na Unidade Respiratória só é permitida à equipe que ali trabalha por questões sanitárias e de segurança mesmo. Só que não podemos aceitar o presidente da entidade que representa os servidores públicos destratando e coagindo os próprios servidores. Como fica a cabeça de um servidor que já está bastante preocupado com a pandemia? Tanto que, após relatarem essa situação a mim, eles decidiram registrar o boletim de ocorrência”, afirmou o secretário de Saúde, Vanderlei Cocato.

RESPOSTA. Procurado pelo JNO, o presidente da SSPMANO – Adriano José do Carmo, através de sua advogada, doutora Suzely, enviou o seguinte esclarecimento: “O presidente do Sindicato Sr. Adriano, tomou conhecimento das acusações por meio da mídia. Acusação não é verdadeira, inclusive ele já havia registrado boletim de ocorrência no dia 29 de maio em razão das ofensas sofridas por funcionários terceirizados que se dizem servidores públicos. Tudo será devidamente explicado e comprovado quando houver intimação formal das autoridades”.