in

Prefeitura, vereadores e Corpo de Bombeiros debatem possibilidade de instalação de unidade

Para o coordenador da Defesa Civil, Paulo Bichof, a junção dos dois setores seria muito bem-vinda. “Os dois órgãos poderiam atuar em consonância para reforço dos serviços. Vejo com bons olhos a união de esforços”, disse ele.

Reunião bombeiros Nova Odessa

A Prefeitura de Nova Odessa e representantes do Legislativo deram sequência, ontem, dia 4, às tratativas para a possível instalação de uma unidade do Corpo de Bombeiros Civil Voluntários. O secretário de Governo, Wagner Morais, liderou uma reunião com o capitão Bruno Gobbo, comandante do 16º Sub Grupamento de Bombeiros Militar, que inclui as cidades da região, e o major Luiz Godinho, que comanda o Corpo de Bombeiros Militar em 43 cidades, para ajudarem na formatação de um modelo eficiente e legal para a instalação.

Do encontro, participaram os vereadores Avelino Xavier Alves, o Poneis, e Wladiney Brígida, o Polaco, que já vêm trabalhando com essa possibilidade. Por parte da Prefeitura, também integraram a reunião o secretário de Assuntos Jurídicos, Robson Fonte Paulo, o secretário de Obras e Planejamento Urbano, Elvis Ricardo Maurício Garcia, e a secretária de Desenvolvimento Econômico, Carol Moura.

O bombeiro civil Márcio Carvalho, que atua com uma equipe treinada em resgate e combate à incêndios, vai ajudar no plano de atuação e adequação às normas e diretrizes da legislação para efetivação do projeto. “Iniciamos o diálogo ouvindo os dois lados, com a expertise e experiência para nos direcionar na melhor forma de fazer acontecer”, explicou Morais.

Publicidade
dom-bosco-jno

De acordo com ele, também está em estudo uma parceria com a Defesa Civil, que atuaria em conjunto com os bombeiros voluntários. Para o coordenador da Defesa Civil, Paulo Bichof, a junção dos dois setores seria muito bem-vinda. “Os dois órgãos poderiam atuar em consonância para reforço dos serviços. Vejo com bons olhos a união de esforços”, disse ele.

De acordo com os bombeiros militares, a legislação vigente passará por reformulação com atualização de nove normativas existentes. “Por isso, vamos ter todo o cuidado e cautela para fazermos algo bem feito”, concluiu o secretário de Governo.