in

Operação contra roubo de carga desmantela quadrilha que agia nas rodovias da região

A região metropolitana concentra o maior número de roubos de cargas de alto valor no Estado

Publicidade
maverick-ar_condicionado

 

A operação realizada na manhã de ontem, dia 11, do Ministério Público de São Paulo, com apoio da Polícia Militar, cumpriu 16 dos 17 mandados de prisão temporária contra envolvidos em roubos de cargas em sete municípios da região de Campinas. Uma pessoa, que não é agente público, está foragida.

A operação foi comandada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público, Batalhão de Operações de Polícia (Baep) e as corregedorias das polícias Civil e Militar.

O grupo agia desde 2015, em vias como Anhanguera (SP-330), Bandeirantes (SP-348), Dom Pedro I (SP-065) e Luiz de Queiroz (SP-304). Os criminosos abordavam as vítimas dos roubos simulando uma blitz da Polícia Militar. Ao menos 20 roubos foram monitorados pelos investigadores desde então.

Segundo informações divulgadas em coletiva de imprensa na sede do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de repressão ao crime organizado), ontem, dia 11, em Campinas, os mandados foram cumpridos em Campinas, Paulínia, Sumaré, Hortolândia, Nova Odessa, Artur Nogueira e Cosmópolis.

Entre os alvos da operação denominada “Operação Vidocq” estão dois policiais militares, um policial civil e um guarda municipal. O policial civil e o guarda municipal são de Cosmópolis, e os dois policiais militares são de Paulínia. A participação deles no esquema ainda será esclarecida.

Ao todo, foram cumpridos 16 dos 17 mandados de prisão temporária, 22 de busca e apreensão e 16 dos 17 mandados de apreensão de veículos. Também foram apreendidas duas pistolas 9 mm de uso exclusivo das forças armadas, fardas, além de veículos, placas, adesivos para adulteração de placas, dinheiro, cargas e bloqueadores de sinal de celulares e de rastreadores.

Os presos e o material apreendido foram levados para a sede do Ministério Público na Cidade Judiciária, em Campinas, onde foram ouvidos pelos promotores. Após os depoimentos, os suspeitos foram levados para a 2ª Delegacia Seccional da cidade, para onde também foram encaminhados os ítens apreendidos, entre eles ao menos dois caminhões e seis carros.

 

Modo de operação

Segundo as investigações, os integrantes da quadrilha se vestiam como se fossem policiais para abordar as vítimas de roubo em falsas blitze da Polícia Rodoviária em estradas da região. Eles paravam os veículos, rendiam o motorista e roubavam toda a carga.

 

Flagrante

Em Nova Odessa, um dos investigados pela “Operação Vidocq”, estava usando uma farda da PMR (Polícia Militar Rodoviária) no momento em que foi abordado em sua casa. Além do falso policial, outras duas pessoas foram presas em flagrante, elas estavam se preparando para mais um roubo. No imóvel, também foram encontrados acessórios usados apenas por policiais.