Ministro da Infraestrutura reforça a Macris licitação do Trem Intercidades para 2020

Macris reforçou ao ministro a necessidade do TIC para a RMC (Região Metropolitana de Campinas)

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas - Fabio Rodrigues Pozzebom | Agência Brasil

O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, reforçou nesta terça-feira, 4, ao deputado Vanderlei Macris, o projeto do TIC (Trem Intercidades) e previsão de licitação para 2020. O parlamentar esteve reunido com o ministro para tratar, dentro outros assuntos, do retorno do trem de passageiros, projeto que acompanha desde o início junto ao presidente da Alesp, deputado Cauê Macris, e o governador João Doria.

Macris reforçou ao ministro a necessidade do TIC para a RMC (Região Metropolitana de Campinas). “É uma grande expectativa para as cidades de São Paulo, principalmente na RMC, o primeiro grande projeto de transporte ferroviário de passageiros, que irá trazer tantos benefícios, entre eles desafogar a malha viária e garantir transporte rápido e de qualidade à população”, destacou.

“A gente tem acompanhado o esforço do senhor na viabilização deste importante projeto. Para nós, um dos mais emblemáticos do Brasil, que é o resgate do trem de passageiros, que é uma coisa que a sociedade tanto espera”, iniciou o ministro em vídeo divulgado nas redes sociais do parlamentar.
De acordo com ministro, a modelagem, que está sendo desenvolvida pelo BID (Banco Internacional de Desenvolvimento), deve ficar pronta em breve para licitação e, por consequência, início da obra. “Ano que vem nós vamos ter condições de licitar. Temos uma grande perspectiva pela frente e vamos ter o primeiro projeto desta natureza no Brasil”, disse.

Publicidade
NOVAODESSA_GOVERNO_IPVA_Obras_500x500

E ainda salientou o primeiro grande passo com a vitória, semana passada, no do TCU (Tribunal de Contas da União), da prorrogação da malha paulista e informou que está sendo enviado novo projeto que é a prorrogação da concessão da MRS. “Essas duas prorrogações vão liberar faixas de domínio e linha para o que será o TIC, o que irá diminuir a necessidade de investimento e viabilizar o projeto”.