in

Ministério Público recebe representação contra Polaco

No documento, técnica em enfermagem Simone Alcântara pede afastamento do vereador de suas funções até conclusão do processo ao qual ele responde em Itatinga

Publicidade
detran-jno

Após a Câmara arquivar a Comissão Processante instaurada para investigar possível quebra de decoro parlamentar contra o vereador Wladiney Pereira Brígida, o Polaco (PL) – graças aos votos dos vereadores Tiago Lobo (PV), Carla Lucena (PL), Leitinho (PSD) e Professor Antonio (PSD) -, a técnica em enfermagem Simone Alcântara (autora da denúncia no Legislativo) protocolou representação no Ministério Público pedindo o afastamento de Polaco de suas funções parlamentares até a conclusão do processo ao qual ele responde na cidade de Itatinga (SP), onde foi preso em flagrante em março de 2018 acusado de cobrar propina para aprovar alunos reprovados em exames práticos para obtenção da CNH (Carteira de Habilitação).

No sábado, o Jornal de Nova Odessa mostrou – com exclusividade – que a promotora de Justiça, Maria Cecília Nacle, do Ministério Público de Itatinga, despachou no sentido de enviar cópia integral do processo contra Polaco à Justiça Eleitoral e Câmara, que os órgãos tomem “as providências que entenderem necessárias” contra o vereador. “O que a Câmara fez, ou melhor, os vereadores Tiago Lobo, Carla Lucena, Leitinho e Professor Antonio fizeram, não tem cabimento algum. Como podem dizer que não houve indícios de autoria e materialidade se o vereador Polaco foi preso em flagrante e teve que pagar fiança para sair da cadeia? Mas se esses quatros vereadores disseram, com o arquivamento da comissão processante, que a corrupção está liberada, espero e tenho certeza que o Ministério Público não terá o mesmo entendimento. E eu continuarei lutando para que esse absurdo seja reparado”, explicou Simone, que esteve na redação do JNO nesta segunda-feira.

Na representação, a técnica em enfermagem lembra que a própria promotora de Justiça de Itatinga, Maria Cecília Nacle, despachou no sentido de encaminhar todo o inquérito contra Polaco à Justiça Eleitoral e à Câmara também, para as medidas que entenderem necessárias. “Considerando que Wladiney era suplente de vereadora na cidade de Nova Odessa e acabou de assumir o cargo interinamente em razão de denúncia, tendo em vista eventuais repercussões político-eleitorais ao mandato eletivo, requeiro a extração de cópias e remessa à Câmara de Vereadores da aludida cidade, bem como à Justiça Eleitoral responsável pela 292ª Zona Eleitoral para as providências que entenderem cabíveis”, traz o despacho da representante do Ministério Público de Itatinga, três dias depois da renúncia da vereadora Carol Moura, que abriu caminho para a posse de Polaco.

“Da Câmara, eu não espero nada mesmo. A chance que eles tinham para investigar, arquivaram. Um absurdo. Agora, a esperança é que o Ministério Público e a Justiça Eleitoral se posicionem”, completou Simone.