in

Meio Ambiente e Obras fiscalizam postos de combustíveis

Em um derramamento de gasolina, uma das principais preocupações é a contaminação de aquíferos que sejam usados como fonte de abastecimento de água para consumo humano.

No Brasil existem mais de 40 mil postos de combustível e a contaminação do solo é uma das principais preocupações atuais, uma vez que cerca de 30% dos postos apresentam problemas que podem ocasionar a contaminação. O fiscal da Secretaria de Meio Ambiente, José Carlos de Castro, e a fiscal da Secretaria de Obras, Projetos e Planejamento Urbano, Débora Zagui, visitaram os 14 postos de combustíveis de Nova Odessa para verificar as áreas de abastecimento e as cabines de troca de óleo. Nenhuma irregularidade foi encontrada. “O objetivo é checar se os pisos não possuem rachaduras e se estão impermeabilizados e sem danos”, explicou Castro.

Segundo Debora, na ação também é realizada uma checagem dos documentos que comprovam as licenças necessárias e o descarte correto dos óleos, lubrificantes e a limpeza e manutenção dos caixas. “O procedimento é solicitar as autorizações necessárias e licenças de funcionamento, tanto da Prefeitura quanto dos órgãos de controle e fiscalização como Cetesb”, esclareceu ela.

Publicidade
maverick-ar_condicionado

A diretora de Meio Ambiente, Fernanda Dagrela, explicou que essa é uma ação importante, “uma vez que, os postos de combustíveis possuem riscos de contaminação das águas subterrâneas que podem acabar contaminando as águas que servem para o abastecimento público”.

Em um derramamento de gasolina, uma das principais preocupações é a contaminação de aquíferos que sejam usados como fonte de abastecimento de água para consumo humano. Por ser pouco solúvel em água, a gasolina derramada, contendo mais de 400 componentes, chegará ao lençol freático com soluções extremamente contaminantes. Estes compostos podem atingir e trazer prejuízos ao sistema nervoso central. O benzeno, por exemplo, é também comprovadamente carcinogênico podendo causar leucemia.