in

Jovem morre nove dias após dar à luz no Hospital de NO

Paciente deu à luz na unidade hospitalar, no dia 23 de janeiro, quando uma compressa de 30 centímetros foi deixada em seu abdômen.

Eduarda Giovana Kachimarsky, de 22 anos, morreu nove dias após dar a luz a uma menina no Hospital Municipal e Maternidade Dr. Acílio Carreon Garcia, em Nova Odessa.
A jovem faleceu na noite de quarta-feira, dia 1º, no Hospital Estadual de Sumaré, em decorrência de choque séptico por corpo estranho, após médicos encontrarem cerca de 30 centímetros de compressa dentro do abdômen da paciente. Segundo informações, o material cirúrgico foi deixado em seu abdômen durante um parto cesariana realizado no Hospital de Nova Odessa, no dia 23 de janeiro.
Eduarda Giovana Kachimarsky começou a reclamar de dores abdominais três dias após o parto. Levada a unidade hospitalar de Nova Odessa, a jovem passou por ultrassom e raio X, mas nada foi encontrado. Eduarda Giovana permaneceu mais dois dias na unidade, até ser transferida em estado grave para o hospital de Sumaré.
Para a família da jovem, não há dúvidas que houve irregularidade no atendimento prestado a Eduarda Giovana Kachimarsky. “Agora vamos fazer um boletim de ocorrência para que a morte da minha filha seja investigada e esclarecida”, explicou Maria Aparecida Kachimarsky, mãe da jovem.

Hospital de Sumaré
O Hospital Estadual de Sumaré emitiu nota referente ao caso da paciente Eduarda Giovana Kachimarsky. Segundo a nota, “ela foi atendida na Unidade de Urgência Referenciada do HES na madrugada desta quinta-feira, dia 2, encaminhada pelo Hospital de Nova Odessa. A paciente chegou em estado grave e foi imediatamente encaminhada para o centro cirúrgico para uma laparotomia (cirurgia da cavidade abdominal) onde se constatou um corpo estranho (compressa). A paciente faleceu na UTI com choque séptico por corpo estranho e o caso foi notificado para a Vigilância Epidemiológica do Município de Sumaré. O caso também será avaliado pelo Comitê de Óbitos do HES-Unicamp e pelo Comitê de Óbito Materno Regional”, finalizou a nota.

Nova Odessa
Questionada a respeito do caso do falecimento da jovem Eduarda Giovana Kachimarsky, a assessoria de comunicação da Prefeitura de Nova Odessa enviou ao jornal nota esclarecendo que “a Prefeitura de Nova Odessa lamenta profundamente o falecimento da jovem Eduarda Giovana Kachimarsky no Hospital Estadual de Sumaré. Representantes da administração, entre eles o secretário interino de Saúde, Vanderlei Cocato, estiveram com a mãe de Giovana e se colocaram à disposição para dar toda a assistência que a família precisar neste momento de dor. Também será oferecida a assistência necessária à filha de Giovana, que hoje completa dez dias de vida”.
A nota também comunica que “a Secretaria de Saúde instaurou procedimento de investigação interno para apurar as causas da morte, com levantamento dos prontuários e dos profissionais que realizaram o atendimento à jovem durante seu período de permanência no Hospital Municipal e Maternidade Dr. Acílio Carreon Garcia. Cabe agora à Comissão de Ética Médica do hospital, formada por profissionais da área médica, colher depoimentos e decidir sobre o encaminhamento do caso ao órgão superior, que é o Conselho Regional de Medicina”.
A assessoria informou também que “ainda hoje (ontem) o prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza se reuniu com a equipe técnica do hospital para pedir agilidade e rigor nas investigações, assim como reforçar o pedido de humanização no atendimento dos pacientes”. Segundo o prefeito, “em Nova Odessa não há atraso no salário dos servidores e o Centro Cirúrgico da Maternidade, assim como as demais alas do hospital, têm todas as condições necessárias para o bom andamento do atendimento médico”, disse Bill.

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

Apuração
O Cremesp (Conselho Regional de Medicina de São Paulo) já investiga o Hospital de Nova Odessa por outros quatro casos suspeitos de erro médico ocorridos em 2016. De acordo como a entidade, nenhuma dessas sindicâncias envolve os dois médicos que fizeram o parto em Eduarda Giovana Kachimarsky.

Carla Lucena pede informações sobre morte de jovem
Da Redação

Ao tomar conhecimento da morte da jovem mãe que foi atendida no HMNO (Hospital Municipal de Nova Odessa), a presidente da Câmara, Carla Lucena (PSDB), protocolou, na tarde da última quinta-feira, dia 2, um requerimento solicitando informações sobre quais medidas serão tomadas em relação ao caso.
“Estas notícias nos tiram o chão. Quanto à negligência médica, isso foge da nossa alçada como vereador apontar. Sabemos que cabe ao Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) que é o órgão competente para isso. Porém, posso pedir informações ao Executivo quanto ao procedimento administrativo que foi adotado neste caso”, explicou.
Segundo a vereadora foi com profundo pesar que recebeu a notícia do falecimento da Eduarda Giovana Kachimarsky, ocorrido no último dia 2. Ela deu à luz nove dias antes, após cesariana realizada no Hospital e Maternidade Municipal Dr. Acílio Carreon Garcia, e familiares apontam para eventual negligência médica, na qual teria sido “esquecido” material cirúrgico na paciente.
A propositura está na pauta da sessão ordinária de segunda-feira, dia 6.

Publicidade
superbanner-728x90-rafaela-40kb