in

Investidas da Guarda Municipal descobrem adolescentes a serviço do tráfico de drogas

Investidas da Guarda Municipal descobrem adolescentes a serviço do tráfico de drogas

GUARDA MUNICIPAL NOVA ODESSA

Da Redação
[email protected]

Em duas investidas no combate ao tráfico de drogas, guardas civis municipais tiraram das ruas adolescentes acusados de venderem entorpecentes no jardim São Jorge. As apreensões dos infratores ocorreram em diferença de meia hora, na tarde de quinta-feira, 5. Os guardas, em ronda, desconfiaram dos garotos, ambos na mesma posição – agachados – e pararam para averiguação. As ocorrências foram nas ruas Rio de Janeiro e Manaus.
Foram apreendidas porções de cocaína, crack e maconha. Os dois adolescentes acabaram levados para a Delegacia da Polícia Civil, onde foram identificados e entregues para seus familiares, que deverão levá-los ao Fórum quando tiverem audiências agendadas. Os entorpecentes acabaram levados para a Polícia Técnico-Científica de Americana, para análise e consequente emissão de laudo.

Segundo os guardas municipais descobriram, um dos adolescentes, o que tem 15 anos, começou na vida do tráfico na quarta-feira mesmo. Ele foi detido após os guardas passarem pela rua Manaus e o virem agachado, perto de um monte de entulho. O treinamento dos agentes de segurança, com atenção extrema nas rondas, levantou suspeita do jovem, que procurou se levantar ao perceber a aproximação da viatura.
Os guardas foram ao encontro do garoto. Ele estava com R$ 16 em um dos bolsos da bermuda. Conforme o Boletim de Ocorrência, “o adolescente espontaneamente contou que era seu primeiro dia a serviço do tráfico e apontou onde estavam os entorpecentes, bem no meio do entulho”. Foram apreendidas 13 pedras de crack, duas porções de cocaína e igual número de maconha.

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

Já na outra apreensão, guardas em ronda desconfiaram de um garoto de 14 anos, agachado em calçada e junto a uma árvore da rua Rio de Janeiro. Pela suspeita levantada no olhar do garoto, os agentes pararam e acharam com ele R$ 86 na mão esquerda. Conforme registrado no Boletim de Ocorrência, “o adolescente disse que o dinheiro era proveniente da venda de entorpecente e que vendia as drogas pelo quarto dia”. As drogas estavam junto ao pé da árvore – cinco pedras de crack. Questionado quem lhe tinha entregue o entorpecente para vendar, o garoto ficou calado.