Gasolina e gás de cozinha sofrem novo aumento

O litro do combustível vendido nas refinarias passará de R$ 2,78 para R$ 2,98, um reajuste de 7,19%; no GLP, o preço médio de venda para as distribuidoras subirá 7,22%, para R$ 50,15 no botijão de 13 quilos

gasolina-e-gas-de-cozinha-sofrem-novo-aumento-jno
Publicidade
detran-jno

Está valendo a partir deste sábado o novo reajuste concedido pela Petrobras no preço do gás de botijão e da gasolina. Em ambos os casos, são reajustes para as distribudoras, ou seja, o aumento do preço final para o consumidor será diferente. Este ano, o preço da gasolina praticado pela Petrobras na refinaria já subiu 62%. No gás, o aumento alcança 48%.

Segundo o anúncio da Petrobras, o litro da gasolina vendido nas refinarias passará de R$ 2,78 para R$ 2,98, um reajuste de 7,19%. No gás, o preço médio de venda subirá 7,22%, para R$ 50,15 no botijão de 13 quilos. A estatal informou que o preço do gás se mantinha estável há 95 dias e o da gasolina, há 58 dias.

Segundo a Petrobras, “esses ajustes são importantes para garantir que o mercado siga sendo suprido em bases econômicas e sem riscos de desabastecimento”. No fim de setembro, a Petrobras já havia reajustado o diesel em 8,9%. Nos três casos, o preço final aos consumidores depende de tributos e de ganhos das distribuidoras.

Os reajustes nos combustíveis refletem a recente alta do dólar no Brasil e do petróleo no mercado internacional. Esta semana, a cotação do barril alcançou seu maior patamar nos últimos três anos, em meio a um aumento da demanda global e após a decisão dos grandes exportadores de petróleo de não ampliarem sua produção.