in

Força-tarefa conclui ações no jardim Planalto

Cães com sinais de maus tratos, depósito de recicláveis sem licença, criação de coelhos em condições precárias e outras irregularidades encontradas levaram a emissão de 68 notificações

A Prefeitura de Nova Odessa realizou uma força-tarefa nesta quarta (13) e quinta-feira (14), no jardim Planalto, para combate de pragas urbanas, como baratas, aranhas, ratos e escorpiões, e também do mosquito Aedes aegypti, transmissor de diversas doenças. As ações intersetoriais, que envolveram cerca de 20 servidores e agentes municipais com máquinas e equipamentos, terminaram com a vistoria em 256 residências.

Durante a ação foram retirados quatro caminhões lotados de materiais inservíveis (32 metros cúbicos) e emitidas 50 notificações ambientais (como mato alto, entulho, descarte irregular) e 18 da Vigilância em Saúde (recusa de entrada no imóvel, imóveis com larvas e outras). Segundo a coordenadora do Setor de Zoonoses, a veterinária Paula Faciulli, os resultados da ação surpreenderam negativamente.

“Os muros das residências escondem a sujeira dentro dos quintais. Infelizmente, encontramos mais do que esperávamos e lamentamos muito por esses dados”, explicou. Ela alerta à população que colabore com as ações de controle e combate às pragas mantendo os quintais, propriedades e terrenos limpos.

A equipe de trabalho também encontrou 70 casas fechadas e sete desocupadas, que não puderam ser fiscalizadas.

Equipe encontra 10 cães vítimas de maus tratos

Um dos casos que chamou a atenção da equipe e causou comoção foi uma propriedade com mais de 10 cães em condições de maus tratos. Com acúmulo de lixo e entulhos, o local não possuía nenhum tipo de abrigo, expondo os animais ao clima, e sem vasilhas para água ou comida. “Os animais ficaram desesperados com a nossa chegada”, explicou a supervisora dos agentes, Ana Paula de Paula.

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

Uma equipe da Guarda Civil Municipal, responsável pela implantação do Canil Municipal, foi chamada para dar suporte à fiscalização. “O proprietário foi notificado a resolver a situação ainda no mesmo dia, sob pena de acionarmos a Polícia Ambiental. A multa para este tipo de flagrante é de R$ 3 mil por animal”, contou o guarda municipal, Anderson Francisco de Paula.

Entre as situações críticas, os agentes descobriram um depósito irregular de recicláveis de onde foi retirado um caminhão de objetos. O local estava repleto de materiais, sujeira e toneis com reserva de água cheios de larvas. Também foi encontrado um terreno com uma criação clandestina de coelhos em péssimas condições, o que causa sérios riscos à saúde pública.

“Além disso, algumas propriedades pareciam um cenário de guerra, tamanha a quantidade de entulhos e objetos espalhados. Estamos nas ruas todos os dias lutando contra os descartes irregulares, efetuando poda de mato alto e fazendo limpeza das áreas públicas, porém, o perigo tem vindo de dentro dos quintais”, destacou a diretora de Parques e Jardins, Neide Postigo.

Trabalharam na força-tarefa servidores da Vigilância em Saúde (Setor de Zoonoses), Guarda Civil Municipal (Canil), Secretaria de Meio Ambiente (fiscalização), Diretoria de Parques e Jardins e Diretoria de Serviços Públicos.