in

Execução coloca Nova Odessa na rota dos grandes crimes que envolvem o PT

Embora estivesse no PSD, a história do secretário de Governo de Nova Odessa está fortemente ligada ao Partido dos Trabalhadores, sigla que ele presidiu na vizinha Americana

execucao-coloca-nova-odessa-na-rota-dos-grandes-crimes-que-envolvem-o-pt-jno
Celso Daniel foi assassinado em 2002; Russo foi morto com pelo menos 13 tiros e Toninho teria atrapalhado a fuga de bandidos, segundo inquérito policial contestado pela família
Publicidade
detran-jno

 

O assassinato do secretário de Governo, Marco Antônio Barion, o Russo, coloca Nova Odessa na rota dos grandes crimes que envolvem o PT (Partido dos Trabalhadores) e do qual fazem parte os ex-prefeitos Celso Daniel (Santo André) e Toninho (Campinas). Embora estivesse hoje no PSD, a história de vida de Russo está fortemente ligada ao Partido dos Trabalhadores, sigla que ele presidiu na vizinha Americana.

Formado em Ciências Sociais pela Unesp de Araraquara, Russo foi assessor parlamentar do ex-deputado Antonio Mentor (PT), secretário parlamentar do ex-deputado José Mentor (PT), coordenador de Governo da Prefeitura de Iracemápolis e secretário de Administração da Prefeitura de Artur Nogueira, quando a sigla administrou esses dois municípios.

Russo tinha quase a mesma idade (53) do prefeito de Santo André, Celso Daniel (50), que foi assassinado enquanto ocupava o cargo pela terceira vez. Ele foi sequestrado em 18 de janeiro de 2002, quando saía de uma churrascaria localizada na região dos Jardins, em São Paulo. Os bandidos armados então abriram a porta do carro, arrancaram o prefeito de lá e o levaram embora. Dois dias depois, o corpo de Celso Daniel foi encontrado com onze tiros às margens da rodovia Régis Bittencourt (BR-116), em Juquitiba.

Já o prefeito de Campinas, Antonio da Costa Santos, o Toninho, estava no cargo havia apenas oito meses e dez dias quando foi assassinado a tiros, isso em setembro de 2001. Um inquérito policial concluiu que o prefeito, durante uma viagem que fazia de automóvel, foi assassinado por “atrapalhar o trânsito” de um bando de criminosos que queria ultrapassar o seu veículo. Foram efetuados três disparos na direção do prefeito. A última das três balas atingiu Toninho na artéria aorta.

 

REPERCUSSÃO

Vereadores do PT na região lamentaram a morte de Russo. Professora Juliana, do Legislativo americanense, disse, em nota, que toda a militância do partido perdeu um grande companheiro. “Nosso mandato está consternado com a notícia do assassinado do companheiro Marco Russo, importante liderança do Partido dos Trabalhadores em Americana e região. Deixamos aqui nossa solidariedade aos familiares, amigos e a toda militância do PT que hoje perde um grande companheiro. Esperamos que as forças de segurança pública possam identificar e punir os responsáveis por esse crime bárbaro”, afirmou.

Já o presidente da Câmara de Sumaré, Willian Souza (PT) disse que trata-se de um “crime covarde”. “Militante histórico e aguerrido. Deixa um legado de lutas e organização partidária. Esperamos celeridade nas investigações. Que Deus conforte imensamente o coração dos familiares e amigos”, ressaltou o parlamentar.