in

Ex-vice-prefeita Salime Abdo é velada, homenageada e sepultada em Nova Odessa

O velório aconteceu no saguão do Paço Municipal – honraria reservada àqueles que participaram ativamente da construção da História da cidade. 

jno
Publicidade
detran-jno

Com diversas homenagens de parentes, amigos e familiares, foi velada e sepultada no último sábado (18/06/22) a educadora e ex-vice-prefeita de Nova Odessa, Salime Abdo. Ela faleceu aos 92 anos, ainda de madrugada, em um hospital de Campinas, de complicações de uma cirurgia cardíaca. O velório aconteceu no saguão do Paço Municipal – honraria reservada àqueles que participaram ativamente da construção da História da cidade.

Ela deixa as irmãs Maíba e Nabia, os sobrinhos Paulo Thiene e Ana Maria e sobrinhos netos. O prefeito Cláudio José Schooder, o Leitinho, admirador declarado da professora Salime, lamentou profundamente “essa perda para toda a nossa cidade” e decretou luto oficial de três dias, com bandeiras a meio mastro.

“Era uma pessoa muito séria, muito honesta – nunca conheci na Política outra pessoa tão honesta quanto a Dona Salime. Muito religiosa, tem uma história na comunidade católica. Sem falar na Educação: se hoje temos uma Rede Municipal que é exemplar, se temos uma Etec e uma Escola do SESI, é graças à Salime, que nos deixa um legado de lutas e de vitórias”, lembrou o prefeito Leitinho.

“Era uma pessoa muito correta, o Brasil e o mundo precisam de mais pessoas como ela”, acrescentou o vice-prefeito Alessandro Miranda, o Mineirinho. A homenagem teve a participação ainda dos ex-prefeitos Manoel Samartin e José Mário de Moraes, além de centenas de amigos e dos padres Ocimar Franciscatto e Victor Facchin – que aos 95 anos fez questão de falar aos presentes.

Salime Abdo entrou para a História de Nova Odessa diversas vezes. Em uma delas, tornou-se a primeira mulher a assumir a chefia do Executivo de Nova Odessa, no dia 26 de agosto de 2005, aos 75 anos, quando o então prefeito Manoel Samartin viajou ao Exterior por 16 dias para participar de uma feira de negócios.

Ela viria a assumir a Chefia do Executivo em diversas oportunidades ao longo dos 8 anos seguintes – até hoje a única mulher a ocupar a função de maior relevância na organização político-administrativa de Nova Odessa. Mas já tinha seu lugar assegurado nos livros muito antes.

Salime reside em Nova Odessa desde o início dos anos 1950 e recebeu o título de cidadã novaodessense, concedido pelo Legislativo Municipal – entre outros motivos, por sua participação como secretária do processo político que resultou na emancipação da cidade em dezembro de 1958, elevando-a de Distrito de Americana a Município.

Foi professora e diretora de escola antes de assumir o cargo de primeira coordenadora da então recém-nascida Rede Municipal de Educação da Prefeitura, em 1989 – função que ocupou até o final de 2004, quando ela e Samartin foram vencedores da Eleição Municipal.

Esse papel foi reconhecido em vida em inúmeras homenagens, a mais importante delas o “empréstimo” de seu nome a uma das maiores escolas da Rede Municipal de Educação que ela ajudou a criar – a EMEF Professora Salime Abdo, na Rua dos Mognos, no Jardim Alvorada. Cristã e católica fervorosa, sempre manteve também um papel atuante na condução da vida espiritual da comunidade, principalmente a da Igreja Matriz Nossa Senhora das Dores.

Em 19 de fevereiro do ano passado, Dona Salime, como era carinhosamente chamada por todos, visitou e conversou longamente com o prefeito Leitinho. Na ocasião, destacou a importância da vacinação para a contenção da pandemia da Covid-19 – tendo sido ela mesma uma das primeiras novaodessenses vacinadas contra o coronavírus, aos 91 anos.

 

jno

CONHEÇA MAIS 

Salime Abdo chegou a Nova Odessa em 1951, onde morava com suas irmãs Nabia e Maiba, para cursar Pedagogia na PUC Campinas. 

Tão logo terminou a Faculdade de Educação, começou a dar aulas de Sociologia, Práticas Escolares e Administração Educacional para o curso de Magistério no então Colégio Estadual de Americana. 

Foi diretora de escola em Torrinha, depois Cordeirópolis e, a partir de 1966, se tornou diretora do Ginásio Estadual de Nova Odessa, depois EE Dr João Thienne, onde permaneceu por 20 anos. Aposentou-se do Magistério em 1983. 

Recebeu o título de cidadã novaodessense em 1957, quando o então distrito de Campinas iniciou sua campanha pela emancipação – sendo escolhida datilógrafa da comissão de lideranças locais que lutou e conseguiu a elevação a município. 

A partir de 1989, foi a responsável pelo processo de municipalização da Educação Fundamental pela Prefeitura da cidade e, entre 2005 e 2012, foi vice-prefeita (e chefe de Gabinete) por dois mandatos consecutivos, ao lado do ex-prefeito Manoel Samartin. 

“Resumindo: comecei como escriturária, professora primária, professora secundária, diretora de escola estadual, coordenadora municipal de Educação, vice-prefeita. Como vice-prefeita, fui chefe de Gabinete, presidente do Fundo Social de Solidariedade e supervisora dos diversos conselhos municipais”, resumiu Dona Salime em entrevista à Diretoria de Comunicação da Prefeitura concedida em fevereiro de 2021.