ENEM

Desde ontem, dia 17, os quase 4 milhões de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 podem consultar os resultados das provas. Os estudantes têm acesso à nota da redação e à pontuação de cada uma das quatro áreas de conhecimento: linguagens, ciências humanas, ciências da natureza e matemática. As notas estão disponíveis na Página do Participante e no aplicativo do Enem. É preciso fazer o login com o CPF e a senha cadastrada. Quem esqueceu a senha pode recuperá-la pelo próprio sistema. Saiba como recuperar a senha. Agora os estudantes terão acesso apenas à nota que obtiveram na redação. O espelho da prova, que contém detalhes da correção dos textos, será divulgado em março, 60 dias após a divulgação do resultado individual. As notas não cabem recurso.

ATAQUES

O presidente Jair Bolsonaro foi o responsável por 121 dos 208 ataques contra veículos de comunicação e jornalistas compilados no Brasil no ano passado pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), o que representa 58% do total. Ainda segundo a organização, o Brasil registrou em 2019 um aumento de 54% nesse tipo de ataque físico ou moral contra profissionais ou veículos de comunicação, na comparação com 2018, quando foram anotados 135 casos. O levantamento divulgado na quinta-feira, dia 16, registra que, no caso de Bolsonaro, “foram 114 ofensivas genéricas e generalizadas, além de sete casos de agressões diretas a jornalistas”.

PREOCUPADO

Convencido pela equipe econômica a desistir de dar subsídio a igrejas, Jair Bolsonaro (sem partido) demonstrou ontem, dia 17, preocupação em não manchar a sua imagem com os evangélicos. Ao anunciar o recuo e enterrar a proposta, o presidente afirmou: “O impacto seria mínimo na ponta da linha, mas a política da economia é não ter mais subsídio”. Os evangélicos foram cruciais para a vitória de Bolsonaro na eleição do ano passado, e a bancada que representa esse segmento no Congresso tem sido base de sustentação do governo. Além disso, líderes de grandes igrejas como Edir Macedo (Universal), Silas Malafaia (Assembleia de Deus Vitória em Cristo) e R.R. Soares (Graça de Deus) são interlocutores do presidente.