in

Defesa Civil de Nova Odessa vai auxiliar no combate ao Aedes aegypti

De acordo com a responsável pela Vigilância Epidemiológica, Paula Mestriner, o Estado de São Paulo está em alerta, inclusive a região de Campinas

A Secretaria de Saúde de Nova Odessa passará a contar com mais um importante reforço contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela. A partir desta semana, a Defesa Civil entra no combate com um veículo e dois agentes. A novidade foi anunciada na manhã de ontem, dia 13, em reunião do Comitê Intersetorial de Combate à Dengue, órgão criado pelo Conselho de Desenvolvimento da RMC (Região Metropolitana de Campinas). “Notamos a necessidade de incrementar a equipe de rua e colocamos nosso pessoal à disposição do Comitê. Esse mosquito é uma praga que tem se alastrado e colocado nossa população em risco. Por isso, a Defesa Civil pode e deve também colaborar”, afirmou o diretor do órgão, Paulo Bichof.

A reunião do Comitê terminou com um ofício endereçado ao Secretário de Saúde, Vanderlei Cocato, destacando as ações realizadas neste ano de trabalho e demonstrando a necessidade de ampliação da campanha de conscientização popular. Cocato já manifestou total apoio ao Comitê, que deve se reunir novamente na próxima quarta-feira, dia 20, para elaboração de um cronograma de ações intensificados.

De acordo com a responsável pela Vigilância Epidemiológica, Paula Mestriner, o Estado de São Paulo está em alerta, inclusive a região de Campinas. “Nós já vivemos uma epidemia em 2015 e não queremos viver outra. Por isso é importante reforçar as ações de combate, além do que já fazemos diariamente”, destacou. Nova Odessa possui, até o momento, 17 casos de dengue desde janeiro, sendo um caso do tipo 2 registrado no Jardim das Palmeiras. Nenhum caso de zika, chikungunya ou febre amarela, no entanto, foi registrado.

“Durante todo o ano fazemos ações e campanhas de prevenção como visita casa a casa, para vistoria e retirada de criadouros, sendo que com a temporada de calor e chuvas também fazemos os arrastões aos sábados”, ressaltou Cocato. “Nova Odessa realiza também um projeto ininterrupto na escola com distribuição de folhetos, teatros, atividades teóricas e práticas, além de outros”, destacou a professora Méria de Jesus Brito, do IEC (Informação, Educação e Comunicação), responsável pelo trabalho.

Em 2018, também foram contratados novos agentes de endemias para o trabalho. Em 2017, a Vigilância em Saúde realizou 21 mil visitas em ações de combate à dengue em Nova Odessa. Ano passado, esse número chegou a quase 30 mil. “Mas, notadamente há um aumento de criadouros por parte da população, conforme levantamento da equipe de 11 agentes que percorrem as ruas diariamente”, destacou a coordenadora da Vigilância em Saúde, Adriana Welsch Ferraz.

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

Já em 2019, o cronograma de ações de trabalho foi intensificado na campanha “Todos Contra o Mosquito”, que envolveu todas as secretarias municipais e servidores para conscientização e combate em 10 dias de um extenso cronograma, que terminou no dia 16 de fevereiro, com um mutirão de ações na região dos bairros Alvorada e Capuava. “Infelizmente, falta colaboração dos moradores diante de inúmeras ações e campanhas realizadas. Percebemos que os mosquitos estão instalados dentro dos quintais. A porcentagem de casas com acúmulo de água com larvas é muita alta”, destacou a diretora de Parques e Jardins, Neide Postigo.

MULTA

Nova Odessa ainda aumentou os valores da multa aos moradores flagrados com focos do mosquito da dengue dentro das casas. A legislação também autoriza a entrada de agentes de saúde em casas fechadas e prevê multas para quem impedir a entrada dos agentes designados ao combate do Aedes aegypti. As multas são previstas de acordo com a quantidade de criadouros. O valor varia de R$ 77 na penalidade mais leve, até R$ 25,7 mil, na gravíssima. Em casos de autuação de empresas, a multa nunca será inferior a 10 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (Ufesps), ou o equivalente a R$ 275. Os valores serão duplicados em casos de reincidência.

O município possui, ainda, EcoPonto para descarte de diversos tipos de resíduos, LEVs (Locais de Entrega Voluntária) e PEV (Ponto de Entrega Voluntárias) para descarte exclusivo de materiais recicláveis. O EcoPonto de Nova Odessa fica na esquina das ruas Vilhelms Rosenbergs e Aristides Réstio, no Jardim Monte das Oliveiras. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h30, aos sábados das 7h às 17h30 e aos domingos das 7h às 13h. A cidade possui ainda três LEVs no Parque Izidoro Bordon, Bosque Manoel Jorge e na Rua Manaus, no Jardim São Jorge, e um PEV na Praça Central José Gazzeta, que funcionam 24h.