in

Cremesp arquiva sindicância sobre morte de bebê

A prefeitura também instaurou sindicância para apurar os fatos, que segue na comissão de assuntos disciplinares, mas também deve ser arquivada diante do parecer do Cremesp

Em ofício encaminhado à Câmara de Nova Odessa no último dia 14 de julho e lido na sessão de segunda-feira, dia 6, a primeira depois do recesso parlamentar, o Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) informou aos vereadores que decidiu pelo arquivamento da sindicância instaurada para apurar suposto erro médico que poderia ter causado a morte do recém-nascido Kaleb Henrique Garcia Silva Lopes, isso em 2016, no Hospital Municipal e Maternidade Doutor Acílio Carreon Garcia. O documento é assinado pelo vice-corregedor do Cremesp, Aizenaque Grimaldi de Carvalho. A prefeitura também instaurou sindicância para apurar os fatos, que segue na comissão de assuntos disciplinares, mas também deve ser arquivada diante do parecer do Cremesp.

Segundo o secretário de Saúde, Vanderlei Cocato, a estrutura técnica da principal unidade de saúde do município tem, desde 2017, se adequado às normativas dos órgãos que regulamentam os diferentes setores. Uma das mudanças impostas pelo secretário foi a reativação da CCIH (Comissão de Controle de Infecção Hospitalar), que apontou a necessidade da implantação da Comissão de Revisão de Óbitos. “Esse grupo é importante para garantir a segurança dos pacientes e dos profissionais envolvidos nos atendimentos, à medida que poderá identificar rotinas de procedimentos e apontar possíveis alterações para melhorar a eficiência do sistema público de saúde”, disse Cocato.

Publicidade
lote-racanto-das-aguas-1

REESTRUTURAÇÃO

Em maio, a Secretaria de Saúde de Nova Odessa iniciou uma reestruturação da equipe. Cocato e o prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza formaram um “colegiado” composto por médicos que já coordenam diferentes setores. “A formação dessa equipe multidisciplinar era um projeto antigo, que faz parte das ações para humanização do atendimento”, afirmou Cocato.

Os profissionais que assumiram cargos de chefia e coordenação em maio são médicos especialistas concursados. De acordo com Cocato, com a mudança, as equipes conseguem acompanhar de perto o serviço prestado aos pacientes, elaborando projetos para melhorar a eficácia desse atendimento. “São médicos que estão no dia a dia do ambulatório e do hospital e que têm um outro olhar sobre os procedimentos cotidianos”, disse o secretário.