in

Com pandemia se agravando, tenda da UR vira cobertura para estacionamento

Caso foi revelado pelo vereador Tiaozinho do Klavin, presidente da Comissão de Saúde da Câmara; vereador denunciou a falta de itens básicos, como luvas, aventais e até copos descartáveis

com-pandemia-se-agravando-tenda-da-ur-vira-cobertura-para-estacionamento-jno
Publicidade
detran-jno

Em meio ao agravamento da pandemia de Covid-19, com quase 4,2 mil casos confirmados e 163 mortes, a tenda montada na área externa da UR (Unidade Respiratória) do Jardim Alvorada que abrigava – até o final do ano passado – leitos para atender pacientes acometidos pela doença, vem sendo usada como cobertura para os veículos de profissionais que trabalham no local. Segundo apurou a reportagem do JNO, a Administração gasta cerca de R$ 7 mil por mês com a locação do equipamento.
O caso provocou a indignação do vereador Sebastião Gomes dos Santos, o Tiãozinho do Klavin (PSDB), presidente da Comissão de Saúde da Câmara. Durante a sessão desta segunda-feira, o parlamentar denunciou a falta de itens básicos na unidade, como luvas, aventais e até copos descartáveis. “Os funcionários não aguentam mais”, cravou o vereador.
A precariedade vivenciada na Unidade Respiratória teria, inclusive, provocado o pedido de demissão do enfermeiro emergencista Edson dos Santos Silva, coordenador da UR, o que não foi confirmado pela prefeitura. Procurado pela reportagem, o profissional disse apenas que “não poderia falar sobre o assunto”. Na Câmara, a situação da unidade criada para atender exclusivamente pacientes com Covid-19 também foi tema de discursos dos vereadores.
“Eu não quero me alongar, mas a gente sabe muito bem o que está faltando lá (na Unidade Respiratória). Dinheiro para a Saúde não falta, isso não falta. Mas como eu sempre estou lá, os médicos e os enfermeiros conversam com a gente. Tá faltando luva, tá faltando avental e até copo descartável chegou a faltar esses dias. Sem falar que as tendas estão servindo como estacionamento. Pode isso? O custo é alto e as providências precisam ser tomadas”, esbravejou Tiãozinho. Paulinho Bichof (Podemos) disse, por sua vez, que o sentimento entre aqueles que trabalham na Unidade Respiratória do Jardim Alvorada é de esgotamento. “Os funcionários estão cansados, não aguentam mais”, afirmou.
A reportagem do JNO questionou a Secretaria de Saúde sobre o fato de as tendas estarem sendo usadas como cobertura para veículos, solicitou o valor pago mensalmente pela locação e cobrou uma posição sobre a denúncia feita pelo vereador Tiãozinho, sobre a falta de estrutura para o trabalho dos profissionais, mas não houve nenhuma resposta nesse sentido. Por meio da assessoria de imprensa, a Administração disse apenas que as tendas foram instaladas num momento em que a curva de novas internações era crescente e poderia ultrapassar a capacidade da Unidade Respiratória. “Isso acabou não acontecendo”, garantiu a prefeitura. Contudo, em boletim divulgado ontem, a Secretaria de Saúde informou que o número de pacientes internados na UR saltou de 10 para 19. “Em função dos alertas dos epidemiologistas, a gestão municipal decidiu mantê-las lá por precaução, para serem utilizadas numa eventual readequação da UR caso necessário, quando necessário, de forma rápida, visando garantir que todo mundo que precisar tenha um leito de baixa e média complexidade à disposição em Nova Odessa”, traz nota da prefeitura.