Com crescimento ordenado, Nova Odessa chega a 60 mil habitantes

O cálculo mostra que o Paraíso do Verde cresceu de forma ordenada, próximo da média da RMC (Região Metropolitana de Campinas), onde a população aumentou 1,26% e atingiu 3,26 milhões de pessoas

Nova Odessa já tem mais de 60 mil habitantes, segundo dados levantados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A nova estimativa populacional do município, que considera o total de habitantes estados e municípios em 1º de julho deste ano, foi publicada nesta quarta-feira (28) no “Diário Oficial da União”. De acordo com o órgão, o município tem 60.174 moradores, número 1,35% superior ao estimado no ano passado (59.371). O cálculo mostra que o Paraíso do Verde cresceu de forma ordenada, próximo da média da RMC (Região Metropolitana de Campinas), onde a população aumentou 1,26% e atingiu 3,26 milhões de pessoas.

A estimativa aponta que Nova Odessa é a 12ª cidade mais populosa do grupo metropolitano. Em relação ao ritmo de crescimento, o município ocupa a 14ª posição no ranking regional. Segundo o IBGE, Paulínia foi a campeã nesse quesito, com um salto populacional de 2,48% entre 2018 e 2019. Os dados revelam que o aumento em Campinas foi de 0,84%, o segundo menor da região. Agora, a “capital” da RMC tem 1.204.073 pessoas e se mantém na terceira colocação no Estado, atrás de São Paulo e Guarulhos.

“Os números do IBGE ratificam nosso crescimento ordenado, com gestão responsável e comprometida com o bem-estar da população. Em relação ao ano passado, ganhamos 800 novos moradores, demanda que foi absorvida com tranquilidade graças ao planejamento que fizemos lá atrás. Agora, estamos pensando a cidade para os próximos anos”, avaliou o prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza, se referindo à ampliação da infraestrutura da cidade.

Em julho do ano passado, a Prefeitura e a Coden (Companhia de Desenvolvimento de Nova Odessa), responsável pelo saneamento básico no município, inauguraram a terceira fase da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Quilombo. A unidade trata 100% do esgoto doméstico coletado na cidade A ampliação, fruto do investimento de R$ 6,8 milhões, elevou a capacidade de tratamento para 90 mil habitantes. A obra recebeu R$ 5,997 milhões financiados pelos Comitês PCJ (bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí) e a Agência das Bacias PCJ, fundação que atua como seu braço-executivo. Os recursos são provenientes da cobrança pelo uso da água em rios de domínio do Estado de São Paulo (Cobrança PCJ Paulista). A Coden entrou com contrapartida de R$ 835 mil.

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

A segurança hídrica é outra preocupação da Administração Municipal. Em janeiro, a Coden deu início à construção da ETA Santo ngelo, a segunda estação de tratamento de água da cidade, em obras na região do Pós-Anhanguera. A obra, cuja primeira etapa foi orçada em R$ 2,7 milhões, vai beneficiar diretamente 11 bairros e elevará a capacidade de tratamento de água do município para aproximadamente 105 mil moradores.

Além disso, a Prefeitura está investindo na ampliação da rede municipal de saúde, com a reforma e ampliação do Hospital Municipal e Maternidade “Dr. Acílio Carreon Garcia”, a maior da história, a recuperação de unidades básicas de saúde (UBS) e a construção de duas novas unidades, nos bairros Novos Horizontes e Nossa Senhora de Fátima. Na área de educação, o governo Bill construiu novas escolas, reformou prédios e ampliou o acesso de crianças a partir dos 6 meses à rede municipal de ensino.

NO BRASIL

A população brasileira foi estimada em 210,1 milhões de habitantes em 5.570 municípios. O número representa um aumento de 0,79% na comparação com a população estimada do ano passado. Em 2018, o IBGE estimou um total de 208,5 milhões pessoas. No Estado de São Paulo, a variação foi de 0,83%, passando de 45.538.936 habitantes em 2018 para 45.919.049 este ano, conforme os números divulgados nesta quarta.