in

Com AVC, paciente acamado é ‘esquecido’ pela ambulância e perde consulta na Capital

Novo episódio de descaso envolvendo a rede municipal de Saúde de Nova Odessa motivou requerimento da vereadora Márcia Rebeschini; fato teria ocorrido no último dia 29 de novembro

com-avc-paciente-acamado-e-esquecido-pela-ambulancia-e-perde-consulta-na-capital-jno
Publicidade
detran-jno

Um paciente da rede pública de saúde, que está acamado por conta de um recente AVC que sofreu, perdeu a consulta e, consequentemente, um importante exame que realizaria na cidade de São Paulo simplemente porque o motorista da ambulância da prefeitura “esqueceu” de pegá-lo no endereço agendado. O mais recente episódio de descaso aconteceu no dia 29 de novembro e veio à tona por conta de um requerimento protocolado na Câmara pela vereadora Márcia Rebeschini (PV), que integra o bloco de apoio ao prefeito Cláudio José Schooder, o Leitinho (PSD).
No documento, onde pede informações ao prefeito sobre os fatos, a vereadora diz que o responsável pelo paciente acamado realizou todo o procedimento de agendamento da ambulância e fez contato com o setor confirmando o horário e a data para a viagem até a Capital. “…O responsável pelo paciente esperou e diante da demora, ligou na central de ambulância, sendo que o atendente confirmou que estava na agenda, porém, o motorista já estava chegando em São Paulo e havia esquecido de passar no endereço agendado”, afirma Márcia.
Ainda segundo a vereadora, o exame ao qual o paciente acamado seria submetido em São Paulo é “necessário para cirurgia urgente”. “Qual ação foi tomada para este ocorrido? Considerando que foi uma falha da gestão, já foi reagendado o mais breve possível este exame, sem que paciente tenha que refazer todo procedimento? O motorista que deixou o paciente vai responder pela falha?”, questiona Márcia.

OUTRO LADO
Ao contrário do que afirma a vereadora e a família do paciente, a Secretaria de Saúde informa que o paciente não foi esquecido. “O que aconteceu é que o setor não foi informado que este paciente precisaria ser transportado de maca (deitado) e na mesma data já tinha outros agendamentos, com três ambulâncias já empenhadas, não tínhamos outra para viagem e esse paciente em questão não poderia ser transportado sentado”, disse a pasta. Ainda segundo a prefeitura, foi feito novo agendamento, para o dia 8 deste mês e o paciente será atendido, garante.

INCOMPETENTE
O descaso com o paciente acamado vem à tona justamente na mesma semana em que a Câmara sediou um debate sobre o estado de conservação e a rotina de trabalho da Central de Ambulâncias, a pedido do vereador Oséias Domingos Jorge (DEM), depois que um veículo da frota municipal foi flagrado transferindo uma paciente gestante, de Nova Odessa para Sumaré, com as portas traseiras amarradas com um lençol.
O debate foi realizado na segunda-feira e, na ocasião, Oséias chamou o prefeito Leitinho de “incompetente” por manter na Secretaria de Saúde servidores que, segundo ele, se recusam a prestar contas à população. A fúria do parlamentar foi motivada pela ausência da secretária-adjunta Sheila Moraes e da diretora da Vigilância em Saúde, Josiane Martins Gomes, que foram convocadas para o debate, mas não compareceram. Também convocado, o coordenador do setor de ambulâncias, Tiago Fávaro, chegou cerca de 30 minutos atrasado ao debate.