in

Com atividades suspensas, Clube da Melhor Idade produz videoaulas para manter frequentadores ativos

As aulas são gravadas pelos professores e compartilhadas em grupos do WhatsApp

Publicidade
detran-jno

Por meio de videoaulas, o Clube da Melhor Idade de Nova Odessa tem conseguido levar exercícios físicos e de estímulo à memória a centenas frequentadores. A medida foi implantada na segunda-feira (16), após a suspensão de todas as atividades e serviços oferecidos no espaço, como medida preventiva à disseminação do novo coronavírus. As aulas são gravadas pelos professores e compartilhadas em grupos do WhatsApp. Principal ponto de encontro de idosos do município, o clube idealizado pela primeira-dama Andréa Souza é frequentado por mais de 1,5 mil pessoas com idades entre 55 e 94 anos.

“Com a suspensão das atividades do Clube para proteger nossos frequentadores, que estão no principal grupo de risco de contrair o Covid-19, pensamos nas videoaulas para que possamos continuar perto deles nesse momento de prevenção. Além disso, eles têm uma rotina que auxilia na saúde e no bem-estar e, por isso, não podem ficar parados”, explicou Andréa Souza, que também preside o Fundo Social de Solidariedade do município.

Frequentadora do Clube há sete anos, a aposentada Dilza Rosa Paula, de 66 anos, adorou a ideia das videoaulas. Desde segunda-feira, ela acorda cedo, põe roupa de malhar e vai para a garagem fazer exercícios de ginástica localizada, atenta aos movimentos da professora Luciene Trindade na telinha do celular. “Eu amei a ideia! A única diferença é que a gente não tem a companhia das colegas. Eu estava muito preocupada por não ter nada pra fazer. Na nossa idade, é muito perigoso ficar sem fazer nada”, afirmou Dilza.

Os vídeos, com média de três minutos, são encaminhados diariamente, sempre por volta das 8h30. “São exercícios de alongamento, fortalecimento, coordenação e equilíbrio. Temos enviado por meio de lista de transmissão para mais de 250 pessoas, e o retorno tem sido excelente. Muitos dos frequentadores dependem dos exercícios para amenizar dores no corpo. Essa é a nossa preocupação”, disse a professora Luciana.

As oficinas do Ativamente, projeto implantado este ano no Clube para estimular a memória, a destreza e o raciocínio dos frequentadores, também estão disponíveis em vídeo. As produções são publicadas uma vez por semana em grupo criado no WhatsApp para frequentadores matriculados nas oficinas. “Nos vídeos, procuro passar atividades simples e criativas que façam com que eles continuem estimulando o cérebro”, contou a coordenadora das oficinas, Priscila Grivol, que é coach e neuropsicopedagoga.

“É importante que as pessoas que receberem os vídeos compartilhem com os amigos frequentadores para que possamos alcançar o maior número de pessoas possível”, recomendou a secretária-adjunta de Desenvolvimento Econômico e Gestão Social do município e coordenadora do Clube da Melhor Idade, Regina Pocay.

PROJETO FÊNIX. As videoaulas também estão ajudando jovens de Nova Odessa atendidos pelo Projeto Fênix – ‘Transformando Vidas’, idealizado pela primeira-dama. As oficinas de educação socioemocional ministradas por Priscila nas escolas estaduais parceiras da iniciativa agora estão chegando na palma da mão dos estudantes. A educadora criou um grupo no Facebook, onde publica vídeos e conversa com os alunos. “Nossos jovens precisam de atividades emocionalmente saudáveis para passar por esse período de forma branda e com o mínimo de prejuízo emocional possível”, justificou Priscila.

Participam do projeto as escolas estaduais João Thienne (Centro) Silvânia Aparecida Santos (Jardim Santa Luiza II), Geraldo de Oliveira (Monte das Oliveiras), Dorti Zambello Calil (Bela Vista), Joaquim Rodrigues Azenha (São Manoel) e Alexandre Bassora (Planalto).

Os frequentadores do Clube da Melhor Idade interessados em receber os vídeos devem enviar mensagem pela página do Clube no Facebook (www.facebook.com/Clube-da-Melhor-Idade-Nova-Odessa-464665357293130). Já os alunos da rede estadual podem participar das oficinas remotamente, pelo Facebook, participando do grupo fechado “Projeto Fênix – Alunos das Escolas Estaduais de Nova Odessa”. Basta pedir para participar a informar em que escola estuda.