in

Aumento de ocorrências de incêndio preocupa moradores de Nova Odessa

A Defesa Civil, responsável por atender ocorrências de incêndios em vegetação, atendeu nos últimos quatro meses 42 solicitações de apoio

Com uma demanda significativa de ocorrências diversas, moradores de Nova Odessa fazem um apelo à administração municipal para solucionar o problema da falta de uma unidade do Corpo de Bombeiros na cidade. “Já passou da hora de Nova Odessa ter um Corpo de Bombeiros, a cidade está crescendo e os casos de incêndio também”, disse a moradora Juliana Corrêa.

O Corpo de Bombeiros mais próximo é o de Americana, que leva de 8 a 9 minutos para chegar na cidade. “A instalação de uma unidade depende dos recursos e vontade política, se a administração municipal não fizer, Nova Odessa continuará dependendo do efetivo de Americana”, disse o aposentado Mariano Neto.

Mesmo com o apoio da unidade de Americana, os moradores se preocupam com a agilidade dos atendimentos. “Por não ser em Nova Odessa, o tempo de atendimento pode ser maior do que deveria, prejudicando a população e o patrimônio”, opinou a dona de casa Meiriele de Souza.

Questionado se a preferência é atender Americana, o Sargento Wesley Rodrigo da Silva, do Corpo de Bombeiros de Americana, esclareceu que não existe predileção. “Não há uma preferência de atendimento, as ocorrências são atendidas por ordem de chamado e nível de urgência”, explicou ele. Além do apoio a Nova Odessa, a unidade de Americana atende Sumaré e auxilia Santa Bárbara d’Oeste.

A Defesa Civil, responsável por incêndios em vegetação, atendeu nos últimos quatro meses 42 ocorrências. “Os números são os casos de incêndio em vegetação, agora os outros tipos de ocorrência, em residências por exemplo, são de responsabilidade do Corpo de Bombeiros. Sempre que necessário e solicitado, a defesa Civil apoia o Corpo de Bombeiros”, esclareceu o coordenador da Defesa Civil de Nova Odessa, Paulo Bichof.

A vereadora Carol Moura (Podemos) é autora de um requerimento que solicita informações ao Executivo sobre o assunto, a parlamentar esteve no dia 26 do mês passado no gabinete do prefeito Bill para entregar um abaixo-assinado ao Chefe do Executivo.

Publicidade
dom-bosco-jno

OCORRÊNCIAS

No último sábado, dia 4, um veículo pegou fogo na garagem de uma casa no bairro São Jorge, em Nova Odessa. As chamas foram controladas pelo Corpo de Bombeiros de Americana, que atendeu a ocorrência. Ninguém ficou ferido.

No domingo, dia 6, uma chácara no bairro Recanto Solar, em Nova Odessa, foi destruída por um incêndio. Segundo as informações do proprietário, o imóvel havia sido alugado no dia anterior e desocupado por volta das 22 horas.

O imóvel que tem três cômodos, foi totalmente destruído pelo fogo. No momento do incêndio não havia ninguém no local. O proprietário ainda relatou que perdeu camas, colchões, geladeiras, fogos, armários, mesas, cadeiras e utensílios domésticos.

A instalação de unidades depende das prefeituras que são responsáveis pelo prédio, compra de equipamentos e caminhões. O governo estadual  fornece os profissionais e os uniformes.

CASO

Em um caso recente que tomou as manchetes dos principais jornais do país, um prédio de 24 andares pegou fogo e desabou na região do Largo do Paissandu, no Centro de São Paulo, na madrugada do dia 1º de Maio. O local era uma ocupação irregular, e moradores afirmam que o fogo começou por volta da 1h30 no 5º andar e se espalhou rapidamente pela estrutura.

Até o momento, os bombeiros confirmam duas mortes. As buscas por sobreviventes continuam, e muitos dos moradores cadastrados pela Prefeitura não foram localizados após o desabamento. O prédio era ocupado por cerca de 150 famílias.