in

Atraso no pagamento de auxílio gera insatisfação e cobrança

‘Fomos lá, fotografamos e agora o povo cobra’, disse o vereador Paulo Bichof, em relação às parcelas de R$ 200 anunciadas pela administração

semana-da-enfermagem-vai-ser-comemorada-em-nova-odessa-com-palestra-de-especialista-jno
Publicidade
detran-jno

O vereador Paulo Bichof (Podemos) cobrou o prefeito Claudio José Schooder, o Leitinho (PSD), sobre o início do pagamento do auxílio emergencial – dentro do programa NOS (Nova Odessa Solidária) -, inicialmente previsto para a primeira quinzena de abril. Durante a sessão desta segunda-feira, o parlamentar afirmou que o chefe do Poder Executivo deve um “posicionamento” à população e chegou a sugerir que o programa foi criado sem que houvesse uma real análise da situação financeira do município.

“Fomos lá, fotografamos e agora o povo cobra”, disse Bichof, se referindo à visita que ele e os colegas Levi Tosta (DEM) e Oséias Domingos Jorge (DEM) fizeram ao Departamento de Promoção Social no dia 24 de março. Requerimento de sua autoria, onde questiona o “status” do programa e o número de cestas básicas que estão sendo distribuídas por mês pela prefeitura, foi aprovado pela Câmara.

“Essa não é uma dificuldade apenas minha. Creio que dos demais vereadores também estão sendo constantemente procurados pelos moradores com perguntas sobre cestas básicas e sobre o auxílio emergencial no valor de R$ 200. Faço as mesmas perguntas ao prefeito neste meu requerimento. Nós fomos lá, fotografamos e agora o povo cobra”, ressaltou Bichof. Na sequência, o vereador chegou a sugerir que o programa NOS foi criado “às pressas”.

“Não sei se foi, de repente, uma medida rápida e sem noção do financeiro (sic). Poderia, antes de anunciar, ter visto a situação financeira. A saúde financeira do município, com a pandemia, é prejudicada. Então, que o prefeito venha a público e pelo menos dê um posicionamento à população de Nova Odessa, porque nós somos diariamente questionados pelos moradores”, cobrou Bichof.

DATAS

Em release divulgado à imprensa no dia 5 de abril, a Prefeitura informava que o pagamento da primeira parcela estava previsto para acontecer ainda na primeira quinzena do mesmo mês. Contudo, em novo comunicado feito no dia 14 do mês passado, a Administração disse que os moradores receberiam os primeiros R$ 200 “já nas próximas semanas”.

Agora, após ser questionada pela reportagem do JNO, a Prefeitura deu como prazo para o início do pagamento a segunda quinzena de maio. “A Prefeitura de Nova Odessa está finalizando os procedimentos licitatórios para que os munícipes recebam o benefício de maneira segura e prática, para posterior utilização no comércio local. É importante que a população lembre que prorrogamos o prazo para validação dos cadastros das pessoas que terão acesso ao benefício. A intenção declarada pelo prefeito Leitinho é “não deixar ninguém pra trás”. Depois, analisamos criteriosamente a forma de pagamento, encontrando a mais segura e eficiente em função da pandemia. Com a opção definida para o pagamento (via cartão), então veio a licitação para a escolha da empresa que vai fornecê -lo. Sendo assim, com tudo feito de maneira correta e sem atropelos, o prazo para o pagamento da primeira parcela foi redefinido para a segunda quinzena de maio”, traz nota da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Social.