Arrastão no Marajoara retira três caminhões de criadouros e entulhos

A equipe de agentes que atuou na ação encontrou 20 casas fechadas e 19 desocupadas. Nenhum foco de larvas do mosquito foi encontrado

O arrastão contra o mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, febre amarela, chikungunya e zika – no Jardim Marajoara, em Nova Odessa, realizado no sábado (17), retirou, de 363 imóveis visitados, três caminhões carregados de entulhos e possíveis criadouros.

A equipe de agentes que atuou na ação encontrou 20 casas fechadas e 19 desocupadas. Nenhum foco de larvas do mosquito foi encontrado. “O arrastão é mais um esforço da Secretaria de Saúde, através da Vigilância em Saúde, para manter a cidade livre do Aedes aegypti ”, afirma o secretário de Saúde, Vanderlei Cocato.

Reduzir criadouros é o melhor método para prevenir a proliferação de mosquitos e das doenças transmitidas por eles. A Vigilância alerta para a retirada de qualquer objeto que possa servir para esse fim: pneus, latas, vidros, garrafas, vasos de flores, pratos de vasos, caixas de água, tonéis, latões, cisternas, piscinas, tampinhas de garrafas, bebedouros de animais, entre outros.

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

CASOS

O último relatório emitido pela Vigilância Epidemiológica de Nova Odessa relata que no município foram notificados 1.572 casos suspeitos. Destes, 871 estão confirmados, 427 descartados e 274 seguem em análise. Os munícipes que identificarem possíveis criadouros em terrenos devem comunicar o setor de Zoonoses da prefeitura, pessoalmente ou através do telefone 3466-5442.