in

Arrastão no jardim das Palmeiras retira 15 metros cúbicos de criadouros

A equipe de agentes que atuou na ação encontrou 30 casas fechadas e cinco desocupadas. Foram encontrados 11 focos de larvas do mosquito

O arrastão contra o mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, febre amarela, chikungunya e zika – do Jardim das Palmeiras, em Nova Odessa, realizado no sábado (9), retirou 15 metros cúbicos de criadouros em apenas 190 residências visitadas. A quantidade é equivalente a cinco veículos S-10 totalmente lotados de objetos. “O arrastão é mais um esforço da Secretaria de Saúde, através da Vigilância em Saúde, para manter a cidade livre do Aedes aegypti e das doenças que ele transmite”, afirmou o secretário de Saúde, Vanderlei Cocato.

A equipe de agentes que atuou na ação encontrou 30 casas fechadas e cinco desocupadas. Foram encontrados 11 focos de larvas do mosquito. “Pelo número de imóveis visitados, a quantidade de criadouros retirada foi muito grande. Para se ter uma comparação, no Jardim São Jorge foram retirados 18 metros cúbicos de 1.659 casas visitadas”, alertou Cocato.

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

A coordenadora da Vigilância em Saúde, Adriana Welsch Ferraz também pede à população que ajude a manter as propriedades livres de objetos que possam acumular água e servir de criadouro para o mosquito. “

“A redução de criadouros ainda é o melhor método para se prevenir a proliferação de mosquitos e das doenças transmitidas por eles”, disse. A Vigilância alerta para a retirada de qualquer objetivo que possa servir para esse fim: pneus, latas, vidros, garrafas, vasos de flores, pratos de vasos, caixas de água, tonéis, latões, cisternas, piscinas, tampinhas de garrafas, bebedouros de animais, entre outros.

Publicidade
instituto_728x90_60kb