in

Arrastão no jardim das Palmeiras retira 15 metros cúbicos de criadouros

A equipe de agentes que atuou na ação encontrou 30 casas fechadas e cinco desocupadas. Foram encontrados 11 focos de larvas do mosquito

O arrastão contra o mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, febre amarela, chikungunya e zika – do Jardim das Palmeiras, em Nova Odessa, realizado no sábado (9), retirou 15 metros cúbicos de criadouros em apenas 190 residências visitadas. A quantidade é equivalente a cinco veículos S-10 totalmente lotados de objetos. “O arrastão é mais um esforço da Secretaria de Saúde, através da Vigilância em Saúde, para manter a cidade livre do Aedes aegypti e das doenças que ele transmite”, afirmou o secretário de Saúde, Vanderlei Cocato.

A equipe de agentes que atuou na ação encontrou 30 casas fechadas e cinco desocupadas. Foram encontrados 11 focos de larvas do mosquito. “Pelo número de imóveis visitados, a quantidade de criadouros retirada foi muito grande. Para se ter uma comparação, no Jardim São Jorge foram retirados 18 metros cúbicos de 1.659 casas visitadas”, alertou Cocato.

Publicidade
dom-bosco-jno

A coordenadora da Vigilância em Saúde, Adriana Welsch Ferraz também pede à população que ajude a manter as propriedades livres de objetos que possam acumular água e servir de criadouro para o mosquito. “

“A redução de criadouros ainda é o melhor método para se prevenir a proliferação de mosquitos e das doenças transmitidas por eles”, disse. A Vigilância alerta para a retirada de qualquer objetivo que possa servir para esse fim: pneus, latas, vidros, garrafas, vasos de flores, pratos de vasos, caixas de água, tonéis, latões, cisternas, piscinas, tampinhas de garrafas, bebedouros de animais, entre outros.