Após exonerações, Secretaria de Saúde cancela plantão do recadastramento que aconteceria no sábado

Diante da determinação do TJ (Tribunal de Justiça), que obrigou a Prefeitura de Nova Odessa a exonerar 53 servidores comissionados na quarta-feira (12), a Secretaria de Saúde se viu obrigada a cancelar o plantão do recadastramento e emissão do Cartão +Saúde que estava agendado para este sábado (15), a partir das 8h. “A Saúde foi uma das secretarias mais prejudicadas pelas exonerações determinadas pela justiça e, infelizmente, não temos como recompor a equipe para que pudéssemos atuar neste sábado, assim como tínhamos programado. Grande parte dos servidores que atuou no plantão do último sábado e domingo foi exonerada”, lamentou o secretário de Saúde, Vanderlei Cocato.

Cocato explica que o atendimento segue sendo feito, de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h. Assim que a Central de Atendimento da Saúde é aberta, são distribuídas 100 senhas. A equipe atende também os 160 usuários da rede pública que já estão agendados. Junho foi o último mês de agendamentos. “A partir de julho, vamos entregar 250 senhas todos os dias e assim que possível, programaremos também os plantões nos fins de semana, o que, neste momento, não é viável por conta das exonerações”, disse o secretário.

Cocato também lembrou que o recadastramento vem sendo feito desde novembro do ano passado e seguirá até dezembro. “É um trabalho necessário para que possamos garantir a gestão da Saúde. Hoje temos perto de 120 mil prontuários na rede pública, para uma população que ainda não chegou aos 60 mil habitantes. Temos que atender, e atender bem, quem é morador de Nova Odessa”, frisou o titular da pasta.

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

RECURSOS. O quadrimestre inicial do ano teve R$ 17,2 milhões gastos na Saúde Municipal, sendo 92% oriundos dos cofres municipais e apenas 8% vindos de repasses externos (estaduais e federais). “A população (de Nova Odessa) aumenta e os recursos do SUS (Sistema Único de Saúde) diminuem. Cada vez mais a Saúde é mantida com recursos próprios da Prefeitura”, frisa Cocato. No período analisado foram realizadas 32,7 mil consultas médicas no Pronto Socorro, ou seja, cerca de 8 mil por mês, ou 300 diariamente – Socorrista, Pediatria, Ginecologia e Clínico Cirurgião. “Percebemos que não tem mais uma sazonalidade no atendimento, que aumenta ou diminui conforme a época do ano. Há uma procura constante”, cita Cocato. Além disso, foram mais de 20 mil exames no PS.