in

Após assembleia, servidores municipais de Nova Odessa decidem por greve

Segundo publicação no site do SSPMANO, greve terá inicio em 72 horas

Após cinco dias de assembleia setorial, foi decidido na manhã de ontem, dia 19, pelos servidores municipais de Nova Odessa, o inicio da greve no município.
Segundo publicação no site do SSPMANO (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Nova Odessa), ficou decidido que os servidores municipais entrarão em greve após 72 horas. “Após assembleia encerrada na manhã de hoje, ficou decidido por mais de 90% dos votos que os servidores públicos municipais entrarão em greve”, informou a publicação.
Ainda segundo a publicação, foram 837 votos apurados, sendo 755 contrários à contraproposta do prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza.
A assembleia começou no último sábado dia 15, e terminou às 11 horas de ontem, dia 19. A decisão veio após a rejeição da contraproposta do prefeito Bill à categoria. O presidente do sindicado, Adriano José do Carmo Rosa, disse esperar que a administração municipal se manifeste antes do prazo de 72 horas. “Estou tentando de todas as maneiras evitar que se deflagre a greve, estamos esperando um parecer do prefeito Bill”, garantiu o sindicalista.
A contraproposta apresentada aos trabalhadores foi de repor 4,7% referente à inflação do período, com a condição de fazer o reajuste em três parcelas. A prefeitura também ofereceu um aumento de R$ 25 no valor da cesta básica, totalizando o benefício em R$ 430. A cesta de Natal, que hoje é de R$ 110 passaria a ter o mesmo valor da cesta básica.
Na pauta encaminhada à administração municipal, 29 exigências foram feitas pela entidade sindical. Entre as reivindicações do SSPMANO (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Nova Odessa) estão o aumento salarial de 11%, revisão do plano de carreira, o aumento do valor da cesta básica para R$ 530,00, entrega de leite para todos os servidores da garagem, além da instalação de ar condicionado para todos os setores do Paço Municipal.

Publicidade
maverick-ar_condicionado

NOTA OFICIAL
A Prefeitura de Nova Odessa foi oficiada nesta quarta-feira sobre a assembleia dos servidores públicos e, diante do resultado, a Administração está protocolando junto ao Sindicato os serviços que são considerados essenciais e que deverão, atendendo à legislação, ser mantidos, entre eles Saúde, Segurança, Educação, coleta de lixo, atendimento no Cemitério.
A Prefeitura de Nova Odessa ressalta que, embora lamente a decisão, respeita o direito dos trabalhadores e não tem medido esforços para, mesmo diante da crise que afetou o País e, consequentemente a arrecadação municipal, manter pagamento de salários e outros benefícios em dia, sem atrasos ou parcelamentos.
A Prefeitura ressalta que nos últimos anos concedeu inúmeros benefícios aos servidores, entre eles aumento real nos salários e também na cesta básica.
Este ano, a Administração Municipal, mesmo em um momento econômico difícil, ofereceu 1% de reajuste em março, 1% em setembro e 2,70% em dezembro, totalizando 4,70% no ano. Foi proposto ainda aumento da cesta básica de R$ 405 para R$ 430 (aumento de 6,18%) e da cesta de Natal de R$ 110 para R$ 430 (aumento de 290,09%), além do atendimento de outros itens da pauta de reivindicação, que são específicos de cada categoria, o que representa percentuais de reposição acima da inflação e aumento real.
Importante ressaltar que a Prefeitura se reuniu várias vezes com representantes do Sindicato para discutir a pauta de reivindicações e que esgotou todas as possibilidades de negociação, devendo agora recorrer aos órgãos competentes para análise do movimento grevista.
“Lamento esta decisão, principalmente por acreditar que esta greve tem motivação política, já que algumas das pessoas à frente do Sindicato são meus opositores políticos e não tem medido esforços para acabar com um trabalho sério iniciado em 2013 e que não será interrompido. Fizemos tudo que estava ao nosso alcance para garantir os direitos dos nossos servidores e, se não fomos além, foi para evitar que estes trabalhadores corressem o risco de ter seus salários parcelados ou pagos em atraso. Vamos agora recorrer tomar as providências necessárias para que esta situação esteja, em breve, resolvida”, afirmou o prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza.