in

A desafiante rotina de um hospital público de volta a cena

Começaram as gravações de mais uma temporada da série “Sob Pressão” que mostrará mais uma face da realidade enfrentada pelos hospitais públicos no Brasil

Os atores Julio Andrade e Marjorie Estiano durante a gravação de uma das cenas de seus personagens, Dr. Evandro e Dra. Carolina, respectivamente / Maurício Fidalgo-RG

Sob Pressão é uma história de ficção, mas tem muito em comum com a realidade de alguns hospitais no Brasil. Prometendo repetir o sucesso de sua estreia, a série volta em breve em mais uma temporada retratando a luta de profissionais da Saúde para salvar vidas.

De um lado, a urgência. De outro, a falta de recursos. No meio, uma equipe médica dedicada a superar qualquer obstáculo para manter seus pacientes vivos. O cenário é o mesmo e o desejo em salvar vidas também. Mas na segunda temporada de “Sob Pressão”, cujas gravações começaram esta semana, o inimigo está mais próximo. A corrupção chega sorrateiramente ao hospital e logo toma conta do ambiente, transformando a vida de todos que estão por ali. “A corrupção será a trilha principal da temporada. Queremos mostrar na prática como ela pode matar as pessoas dentro de um hospital público”, revela Lucas Paraizo, que fez parte da equipe de roteiristas da primeira temporada e agora assina a redação final da série.
Para Andrucha Waddington, a nova temporada se aprofunda ainda mais nas questões sociais. “‘Sob Pressão’ tem a qualidade de tocar em questões importantes para o debate da sociedade e trazer à tona situações que espantosamente se tornaram naturais em hospitais públicos, como a corrupção, por exemplo”, arremata o diretor global.
A narrativa da série ganhou notoriedade internacional logo na primeira temporada. Exibida em festivais como Berlinale (Berlim) e TIFF (Toronto), “Sob Pressão” ganhou quatro prêmios no 31st Festival International de Programmes Audivisuels, realizado em janeiro deste ano em Biarritz: melhor série; melhor interpretação feminina e masculina (para Marjorie Estiano e Julio Andrade, respectivamente); e melhor roteiro. A série já foi licenciada para Portugal e os Emirados Árabes Unidos.
Entre as novidades da nova temporada está a entrada de três personagens. Renata, vivida por Fernanda Torres, é uma mulher ambiciosa que chega ao hospital para ocupar o lugar de Samuel (Stepan Nercessian). Humberto Carrão interpreta o arrogante Henrique, cirurgião ortopedista que passa a integrar a equipe médica. E Julia Shimura é a dedicada enfermeira Keiko. Os três se juntam ao elenco da primeira temporada que tem Julio Andrade, Marjorie Estiano, Stepan Nercessian, Bruno Garcia, Tatsu Carvalho, Orã Figueiredo, Pablo Sanabio, Heloisa Jorge, Josie Antelo e Alexandre David.
Assim como na temporada anterior, uma parte desativada do Hospital Nossa Senhora das Dores, em Cascadura, zona norte do Rio de Janeiro, serve como locação do hospital fictício da série. Nos corredores, os dramas dos pacientes são inspirados em histórias reais e passam por temas como overdose de drogas, violência contra ciclistas, adoção, gênero, obesidade, entre outros. A vida pessoal dos médicos também continua em destaque na história. Carolina (Marjorie Estiano) e Evandro (Julio Andrade), por exemplo, estão mais próximos do que nunca, mas os acontecimentos no trabalho voltam a assombrar o casal.

Publicidade
dom-bosco-jno

A Dra. Carolina acredita na bondade e na solidariedade humana, mas carrega feridas que nunca cicatrizam. Parceiros de trabalho, os dois têm em comum o desejo de salvar vidas. E precisam encontrar o equilíbrio entre as dificuldades do ofício e os conflitos íntimos para enfrentar a rotina no ambiente sob pressão e extremamente caótico de uma emergência no subúrbio do Rio de Janeiro.

Lá, eles têm a responsabilidade de representar a esperança aos que chegam diariamente entre a vida e a morte. Nos corredores, histórias trágicas e dramas pessoais dos pacientes se intensificam, potencializados pela urgência que se impõe. Enquanto isso, a equipe médica dribla adversidades, supera a falta de recursos e, mesmo com pouco, evita o pior, muitas vezes criando práticas que são referência para o mundo. Em meio a casos complexos, desafios pesados e dilemas éticos, Evandro e Carolina tentam preservar o amor que sentem um pelo outro. 

Com direção artística de Andrucha Waddington e direção de Andrucha e Mini Kerti, a série “Sob Pressão” é uma coprodução da Globo com a Conspiração Filmes. A segunda temporada tem supervisão de texto de Jorge Furtado e redação final de Lucas Paraízo, que escreve os episódios com Antonio Prata, Marcio Alemão e André Sirangelo, e estreia prevista para o segundo semestre deste ano.