in

Sessões

SESSÕES
O recesso parlamentar chegou ao fim e os vereadores realizam a primeira sessão ordinária na próxima segunda-feira, dia 6, a partir das 18 horas, no Plenário Simão Welsh. Os integrantes da 14ª Legislatura da história de Nova Odessa se reúnem para a discussão e votação de dois Projetos de lei, 84 requerimentos e 12 moções.

ORDEM DO DIA
Os dois itens na Ordem do Dia são os projetos de lei 42/2016, de autoria do Prefeito Municipal, que dispõe sobre a desafetação e outorga de concessão de direito de superfície à Associação Brasileira de Cultura Leta e o nº 62/2016, de autoria do vereador Sebastião Gomes dos Santos, o Tiãozinho do Klavin (PMDB), que proíbe o fumo dentro de veículos automotores que estiverem transportando crianças.

REELEITOS
Dos nove vereadores desta 14ª Legislatura, cinco foram reeleitos, o Antônio Alves Teixeira, o professor Antonio (PT); a atual presidente da casa, Carla Furini de Lucena (PSDB); Cláudio José Schooder, o Leitinho (PV); Sebastião Gomes dos Santos, o Tiãozinho do Klavin (PMDB); e Vagner Barilon (PSDB).

NOVOS
Entre os vereadores desta nova legislatura, três deles nunca ocuparam uma vaga na Casa de Leis: Carol Moura (PTN); Elvis Garcia, o Pelé (PSB); e Tiago Lobo (PCdoB). O Avelino Xavier Alves, o Poneis (PSDB), foi suplente na legislatura passada e assumiu uma cadeira no Legislativo.

Publicidade

VISITA
O vereador Elvis Garcia, o Pelé (PSB), recebeu a visita do vereador de Santa Bárbara d´Oeste, Carlos Fontes (PSD), em seu gabinete na manhã desta quinta-feira, dia 2. Os parlamentares conversaram sobre a necessidade de melhorias na Rodovia Rodolfo Kivitz, no limite entre os dois municípios, entre a Zona Rural barbarense e os bairros de chácaras novaodessenses.

VALORES DO IPTU
Através do requerimento, a vereadora Carol Moura (PTN), solicita informações do Executivo sobre o índice de aumento do IPTU 2017 e isenções. Segundo a parlamentar, algumas pessoas receberam a cobrança com o valor muito acima do esperado e vale a pena que todos saibam que o valor, se estiver reajustado acima dos 7,14%, é incorreto e pode ser revisto no Setor de Tributação.