in

SAÚDE

Publicidade
detran-jno

Presidente da Comissão de Saúde e Promoção Social na Câmara de Nova Odessa, o vereador Sebastião Gomes dos Santos, o Tiãozinho do Klavin (PSDB), é autor de alguns requerimentos que dizem respeito ao tema para a próxima sessão, a ser realizada excepcionalmente na terça-feira, dia 3, às 14 horas, devido ao feriado de Finados na segunda. O parlamentar costuma ser um dos que mais aborda questões de saúde pública no Legislativo.

PROGRAMA

Em um dos requerimentos, Tiãozinho quer informações da Prefeitura sobre a possibilidade de instituir programa para implante dentário no município. Conforme o vereador explica, a perda de dentes é um dos fatores que mais prejudicam a qualidade de vida das pessoas entre 45 e 70 anos. E como boa parte das pessoas não tem condições de pagar os altos custos com dentistas particulares, seria interessante haver o serviço gratuito.

SERVIÇOS

Em outro requerimento, o parlamentar quer saber se os serviços de hemodiálise podem ser agregados à rede pública de saúde em Nova Odessa. Tiãozinho alega que há um “elevado número” de moradores que fazem o procedimento fora do município e poderiam ser atendidos na cidade. Ele ainda defende a implantação de programas de direitos das pessoas com deficiência, em consonância com as legislações pertinentes.

REPRESA

Já o vereador Natal Junqueira de Araújo, o Paraná Gás (PSDB), sugere à Prefeitura que instale alambrado em toda a extensão da Represa Recanto próxima ao Parque dos Pinheiros. Segundo ele, a ação é necessária para a segurança de todos. “Mesmo sendo de conhecimento público que é proibido nadar ou pescar, a população se coloca em risco entrando na represa”, descreve o legislador em requerimento a ser votado na próxima semana.

AUMENTO DO ICMS

Para ajustar as contas do Estado de São Paulo em função da pandemia, o governo de João Dória já elegeu quem pagará as contas: os contribuintes e empresários. Recentemente a Secretaria da Fazenda do Estado publicou alguns ajustes que implicarão no aumento do ICMS para diversos setores. Serão centenas de setores impactados com esse aumento do ICMS que chega a até 207% (veículos usados). Essa majoração está prevista para vigorar por dois anos, ou seja, até 15 de janeiro de 2023, segundo os decretos.