in

PRIMEIRO ANO

primeiro-ano-jno
Publicidade
detran-jno

PRIMEIRO ANO
O prefeito Cláudio José Schooder, o Leitinho, teve muita dificuldade, neste primeiro ano de governo, para se adaptar a cadeira de chefe do Poder Executivo e fecha 2021 com denúncias de suposto superfaturamento em alimentos para a merenda escolar e entrega de produtos sem nota fiscal, polêmicas envolvendo a aprovação de loteamentos (e foram logo 3 neste ano), absurdos na área da Saúde (como o caso da ambulância com a porta amarrada com lençol) e o assassinato de seu homem de confiança, o secretário de Governo, Marco Antonio Barion, o Russo, cuja autoria segue sendo um mistério. Por essas e outras, é que Leitinho entendeu, na carne, que é muito mais cômodo ser “pedra” do que “vidraça”.

PRIMEIRO ANO 2
De ações concretas, que beneficiaram diretamente a população, pouco ou quase nada se viu em 2021. Leitinho apenas entregou obras que já estavam prontas (como foi o caso do velório municipal e do Bosque Manoel Jorge) e iniciou outras cujos recursos já estavam garantidos (como foi o caso da reforma do ambulatório de especialidades). De sua autoria mesmo, apenas a pintura da delegacia e de vários pontos da cidade de azul, o que também rendeu denúncia ao Ministério Público.

PRIMEIRO ANO 3
Leitinho, também logo de cara, precisou encarar o primeiro pedido de cassação feito por um empresário de Cajamar, que alega ter sido prejudicado em uma licitação vencida por sua empresa e que até hoje não iniciou os trabalhos no município. Mesmo com o arquivamento da denúncia pela Câmara de Vereadores, o assunto chegou agora ao Ministério Público e pode render uma dor de cabeça ao prefeito.

PRIMEIRO ANO 4
E nesta quarta-feira, Leitinho e seu vice, Mineirinho, anunciaram um acordo com um empreendedor da cidade para a construção de um prédio anexo ao Hospital Municipal para abrigar a UTI, promessa de campanha. O material distribuído pela assessoria de imprensa da prefeitura diz que as obras devem começar em 2022 e são fruto de um “novo acordo de contrapartidas”, mas não explica se elas são referentes a algum projeto já aprovado no passado ou de algum novo empreendimento na cidade.