in

INTERINO

INTERINO
Foi nomeado na última quinta-feira, dia 1, ao cargo de secretário interino da pasta da Saúde, o chefe de gabinete, André Faganello. Ele assume a pasta após o Tribunal de Justiça negar o pedido de liminar feito pela Prefeitura de Nova Odessa que garantia a permanência de Vanderlei Cocato no cargo.

RECONHECIMENTO
Apesar das críticas, seria um desserviço não reconhecer a competência de Cocato à frente da pasta. Com uma pequena visita aos hospitais da região, fica claro que, em Nova Odessa, a Saúde não está perfeita, mas está muito à frente das demais.

CONTINUIDADE
Será um desafio para Faganello dar continuidade ao trabalho de Cocato, ele irá contar com 56.764 fiscalizadores. Mas não há dúvidas que o chefe de gabinete irá vestir a camisa, caso contrário, o prefeito Bill não lhe daria tal responsabilidade.

FIM DO RECESSO
Com o fim do recesso parlamentar no Poder Legislativo de Nova Odessa, no último dia 31 de janeiro, os nove vereadores realizam a primeira sessão ordinária na segunda-feira, dia 5, a partir das 18 horas, no plenário da Câmara Municipal. Com a pauta invertida, a sessão terá início com um debate sobre a cobrança de ingresso na Festa das Nações, convocado através da aprovação do requerimento 493/2017, de autoria do vereador Cláudio José Schooder, o Leitinho (PV).

Publicidade
dom-bosco-jno

CRÉDITO
O vereador Tiago Lobo (PCdoB), protocolou um requerimento no qual solicita informações do executivo sobre a possibilidade de instituir em Nova Odessa uma AGCP (Associação de Garantia de Crédito Paulista). O objetivo é a possibilidade de ser realizado convênio com a Acino (Associação Comercial Industrial Agropecuária de Nova Odessa) sem custo para o município. Segundo o vereador a implantação da AGCP é um importante para estimular o crescimento sustentável dos negócios locais e garantir subsídios para todos os micro e pequenos empresários que estudam investir em suas empresas instaladas em nosso Município.

MAMÃES E BEBÊS
O vereador Cláudio José Schooder, o Leitinho (PV) quer a implantação de um projeto voltado ao acompanhamento das mães e dos bebês após a alta da maternidade até os três anos e 11 meses de vida das crianças – Programa Mamãe Nenê. O pedido foi feito através de um requerimento protocolado na secretaria da Câmara na quarta-feira, dia 31.