HACKEADO

Crédito: Ricardo Noblat

O site do PSDB nacional foi hackeado na noite de domingo, dia 18, por autor desconhecido. Durante quase uma hora, ao acessar a página do partido, o usuário era redirecionado para uma foto dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff (ambos do PT). Na imagem colocada no site, eles aparecem abraçados, acenando para a câmera, acima da mensagem: “u tempo passa, os dias ficam mais chatos e algumas pessoa + ignorante”. A assessoria do partido confirmou a invasão e disse que sua equipe de tecnologia de informação estava trabalhando para resolver o problema. A legenda ainda não identificou, porém, qual foi a falha de segurança que permitiu o hackeamento.

FROTA

Expulso do PSL na terça-feira, dia 13, o deputado Alexandre Frota disse que o presidente Jair Bolsonaro exigiu seu expurgo da sigla. Em sua primeira entrevista após o episódio, Frota afirma que Bolsonaro é “um idiota ingrato que nada sabe” e que “aquela cadeira de presidente ficou grande para ele e ele se lambuzou com o mel da Presidência”. Acusado de infidelidade partidária por criticar abertamente o presidente, ele diz que sua expulsão é “um aviso para aqueles que acham que estamos vivendo em uma democracia”.

NEPOTISMO

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

A defesa do presidente Jair Bolsonaro afirmou à Justiça Federal que a indicação do seu filho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para o cargo de embaixador não configura nepotismo e pediu que seja negado o pedido feito pelo deputado Jorge Solla (PT-BA) para suspender a nomeação. A provável indicação de Eduardo ainda precisaria ser aprovada pelo Senado, cuja Consultoria Legislativa classificou o caso como “nepotismo”. A defesa do presidente Bolsonaro no caso é assinada pela Advocacia Geral da União (AGU) e foi protocolada ontem, dia 19, na 1ª Vara Federal Cível da Bahia, que solicitou esclarecimentos para decidir na ação popular.

PORTE DE ARMAS

O plenário da Câmara dos Deputados pode votar, esta semana, o Projeto de Lei 3.723/19, do Poder Executivo, que permite a concessão, por decreto presidencial, de porte de armas de fogo para novas categorias, além das previstas no Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03). Na semana passada, o plenário da Casa aprovou o regime de urgência para votação da proposta. Atualmente, o porte só é permitido para as categorias descritas no Estatuto do Desarmamento, como militares das Forças Armadas, policiais e guardas prisionais. O porte de armas consiste na autorização para que o indivíduo ande armado fora de sua casa ou local de trabalho. Já a posse só permite manter a arma dentro de casa ou no trabalho.