in

Desgaste

DESGASTE
O desgaste na imagem política da vereadora Carol Moura (PTN) foi grande com a história dela tentar acabar com a leitura da Bíblia na Câmara. O nervosismo chegou a tal ponto que ela discutiu gravemente com o jornalista Renato Silva, a ponto de dizer que tinha “culhões”. Carol perdeu a compostura após ser questionada por Renato depois de ter sido chamado de mentiroso por ela na tribuna.

‘HORROROSAS’
Segundo Carol, o jornalista tenta lhe imputar “coisas horrorosas”, que teria publicado que ela havia pedido para todas as pessoas na Câmara usarem roupas de cor preta. “Ele chegou a dizer, em público, que eu havia pedido que o dia das bruxas fosse feriado municipal. Tinha dito até que eu havia pedido pro prefeito a liberação do uso da maconha. Ele se diz jornalista. Isso é uma ofensa ao jornalismo”, disparou Carol.

‘MENTIROSA’
No intervalo da sessão Renato rebateu afirmando que a “mentirosa” era ela e a questionou sobre o shopping center e as salas de cinema que prometeu às vésperas das eleições em 2012. A baixaria entre os dois só acabou quando o vereador Cláudio Leitinho (PV) a retirou do plenário.

Publicidade
maverick-ar_condicionado

PIADINHA
O fato é que nas redes sociais até teve quem a defendeu, mas muita gente criticou e não faltaram piadinhas. Um site de Americana postou uma montagem de um padre de batina com o rosto da vereadora e até imagens de Carol Moura com olhos amarelos, com ar “satânico” e fazendo cena de ponta cabeça, em reverência a suposto Deus indiano. Teve também comentários que ela seguiria a religião Wiica, que pregaria o uso de roupas pretas e não seguiria os ensinos bíblicos.

SALÁRIO
Uma munícipe comentou, contudo, que a bronca da vereadora, na verdade, é porque o jornalista está cobrando em rede social o fato de Carol Moura não ter efetuado a doação do seu salário de vereadora, o que ela supostamente teria prometido durante a campanha.