DE OLHO

Proibido pela Justiça de entrar em qualquer gabinete da Prefeitura de Paulínia, o advogado Fábio Martins postou em suas redes sociais uma foto onde aparece ao lado do vereador Leitinho durante evento político realizado em um hotel na cidade vizinha. Além de não poder entrar nos gabinetes, Fábio Martins também não pode – por força judicial – ser nomeado para qualquer cargo político ou em comissão em Paulínia. As determinações da Justiça integram a ação civil movida pelo Ministério Público, onde o advogado – que já se declarou pré-candidato a prefeito em Nova Odessa – responde por improbidade administrativa.

OPOSIÇÃO POR OPOSIÇÃO?

Ninguém ainda conseguiu entender direito as últimas atitudes do presidente da Câmara, Vagner Barilon, que, mesmo frequentando o gabinete do prefeito Bill, tem votado contra os projetos da Administração e desempatando outros em favor da oposição, mesmo quando a inconstitucionalidade está evidente. Foi assim, por exemplo, na emenda que reduziu os salários dos secretários e adjuntos. Barilon, que sempre foi muito cuidadoso com as leis, tem colocado à Câmara numa situação inédita e até vexatória, já que todas as Adin’s (ações diretas de inconstitucionalidade) propostas pela prefeitura tem resultado em liminares pelo Tribunal de Justiça. Será que Barilon tem usado a tática da “oposição pela oposição” e do “poder pelo poder” pensando nas eleições de 2020? Fica a pergunta!

DISCURSO CONTRADITÓRIO

Se o objetivo da Câmara era proporcionar economia (?) aos cofres públicos, quando aprovou a emenda do comunista Tiago Lobo que reduzia o salário dos secretários e secretários-adjuntos – com voto de desempate do presidente Barilon -, o resultado acabou sendo outro. O que ela conseguiu foi onerar, já que os procuradores jurídicos da prefeitura não têm feito outra coisa nas últimas semanas a não ser dedicar o seu tempo (além do expediente também) na elaboração de Adin’s para mostrar ao Tribunal de Justiça as propostas inconstitucionais (verdadeiras aberrações, em alguns casos), quando poderiam estar se dedicando a outros assuntos bem mais importantes.

Publicidade
AllGo Locação de Impressoras

DISCURSO CONTRADITÓRIO 2

Além de mobilizar todo o jurídico da prefeitura, as lambanças abonadas por Barilon – que sempre se pautou pela legalidade – tem feito a Administração perder tempo e dinheiro e colocado o Legislativo numa situação vexatória perante o Tribunal de Justiça. Aliás, o momento vivido pela Casa de Leis – com três liminares contra em apenas 10 dias – é algo inédito na história da cidade.

AGRESSÃO

O prefeito de Americana, Omar Najar, foi vítima de agressão física, coação e ofensa pelo ex-prefeito cassado Diego De Nadai dentro de sala de audiência do Fórum de Justiça de Americana, na tarde da última quinta-feira, dia 15. Omar foi convocado pelo Ministério Público a prestar depoimento à Justiça em ação criminal movida pela Promotoria Pública, em que De Nadai é réu sob acusação de desvio de recursos da Educação. Enquanto se manifestava perante o juíz, o prefeito passou a ser ofendido por De Nadai. Ao fim do depoimento, ao negar as ofensas recebidas pelo político cassado, o prefeito foi agredido com um tapa no rosto. Diego precisou ser contido para não continuar com o ataque físico.

OMAR X DIEGO

O ato lamentável, de acordo com a assessoria de Omar, será tratado no âmbito judicial, uma vez que foi registrado boletim de ocorrência, feito corpo de delito e que uma ação penal será movida pelo prefeito contra o político cassado. O ex-prefeito se manifestou disse que foi xingado e ofendido. “Há cinco anos aguento calado calúnias e mentiras e sempre me defendi na justiça. Hoje, fui xingado e ofendido novamente”, rebateu Diego de Nadai.